O Boko Haram teve sua conta suspensa no twitter nesta semana. Recentemente o grupo usou o perfil da rede social para publicar um vídeo ameaçando acabar com as eleições que acontecerão na Nigéria. O país tem sofrido diversos ataques dos soldados que afirmam estar lutando em nome do Islã e do profeta.

O grupo criou a conta no twitter em fevereiro e atualizava a timeline seguida por 5 mil pessoas basicamente com mensagens de guerra e ameaças. Muito do objetivo do perfil era divulgar as ideias por trás do movimento, além de atrair novos seguidores para as atividades militares do grupo.

Vários veículos de comunicação mencionaram que o material publicado no perfil do twitter tinha uma aparência mais profissional e que o surgimento da conta mostrava que o Boko Haram estava evoluindo como organização.

Publicidade
Publicidade

Há seis anos em ação na Nigéria, o Boko Haram chocou o mundo por conta de diversas atrocidades incluindo vídeos de execuções e ações militares que tinham como principal objetivo demonstrar poder. Entre os crimes cometidos pelo grupo estão o uso de crianças como homens-bomba, mutilação de mulheres e diversos ataques terroristas na Nigéria.

Em janeiro o grupo terrorista promoveu um massacre em que mais de 2000 pessoas morreram na cidade de Baga na Nigéria. Estima-se que mais de 800 mil pessoas foram expulsas de suas casas pelo Boko Haram, criando um problema social grave no país que agora lida com um número absurdo de refugiados. A Cruz Vermelha que deu assistência a 45 mil pessoas que perderam as suas casas para os conflitos no país e emitiu um comunicado afirmando que a situação dos refugiados é "muito preocupante".

Publicidade

O Boko Haram é um grupo que se opõe ao governo nigeriano e que quer substituir as leis do país pelas regras do Islã, ou do que eles acreditam ser Islã. Em nome dessa missão 'sagrada' a entidade critica o acesso de mulheres a educação que acontece no ocidente, além de já ter matado milhares de pessoas.

Embora o twitter tenha jubilado o perfil do Boko Haram, o grupo extremista deve continuar chamando atenção da grande mídia com vídeos de execuções e comunicados com ameaças ao mundo ocidental. #Terrorismo