Na manhã dessa terça-feira (24), caiu um Airbus da companhia aérea Germanwings, companhia ligada à Lufthansa, no Sul da França. Ainda não há detalhes sobre as identidades dos passageiros, dos funcionários e das condições do tempo, mas segundo a CNN e a Polícia Francesa, a queda já está confirmada sem informações de mortos ou sobreviventes. 

O avião partiu da cidade de Barcelona, na Espanha, e deveria chegar à Dusseldorf na Alemanha. A região da queda é a dos Alpes Franceses nos arredores da região do Principado de Mônaco e Barcelonès (sul dos Alpes). Essas informações são oficializadas pela polícia francesa e logo mais haverá um pronunciamento do presidente francês François Hollande, que fez uma declaração na rede social Twitter dizendo que é quase impossível que haja esperança de sobreviventes e que já considera este fato como uma tremenda tragédia, não somente para a França, mas como para toda a Europa.

Publicidade
Publicidade

Há informações de que o avião chegou a fazer um pedido de socorro, 50 minutos antes da queda, porém uma hora depois, por volta das 11:30 da França, o avião desapareceu dos radares. Os veículos de informação aguardam mais informações das autoridades francesas e posteriormente o pronunciamento do presidente francês.

O avião já era utilizado desde a década de 90 e era considerado um avião antigo. As informações que chegaram até o momento são apenas relacionadas aos destroços do avião, que já são vistos próximos da região do Principado de Mônaco e Barcelonès. Há montanhas na região, e a principal suspeita é que o avião tenha se chocado em uma delas. Logo após essa queda, segundo a própria companhia aérea, foi notada uma redução bastante acentuada em suas ações. A companhia é conhecida por oferecer aos passageiros preços baratos.

Publicidade

Países como Portugal, Alemanha e Espanha já se mobilizam no intuito de descobrir as identidades dos passageiros, é bem possível que haja passageiros desses países nessa tragédia. A equipe que estava nesse voo, havia afirmado que essa região seria de difícil acesso (os arredores da cidade de Barcelonès e do Principado de Mônaco).  As buscas continuam por terra e céu.