O airbus A320 da companhia alemã Germanwings, que saiu de Barcelona para Düsseldorf, caiu nos alpes franceses na manhã desta terça-feira, 24. O acidente matou 144 passageiros e 6 tripulantes. O avião foi destroçado na queda. Germanwings pertence à notória Lufthansa, que diz não entender a causa do acidente, afirmando que a aeronave estava em perfeitas condições e que a mesma passou por manutenção de rotina um dia antes do ocorrido. 
O avião saiu de Barcelona, na Espanha, às dez horas da manhã e deveria ter pousado por volta de uma hora e meia depois, em solo alemão. Entretanto, o avião sumiu dos radares no meio do percurso. Ao alcançar 38.000 metros de altitude, numa região montanhosa do sul da França, o airbus começou a cair. Estima-se que sua queda foi brusca e durou oito minutos. 
Os destroços da aeronave estão espalhados em locais de difícil acesso. Um helicóptero de resgate avistou destroços na região de Digne-les-Bains, a 2.000 metros de altitude. 
Apesar da confirmação de não haver sobreviventes, mais de 600 oficiais - policiais e bombeiros - foram mobilizados para efetuar buscas nas áreas onde estão alguns dos destroços. Os maiores pedaços da aeronave possuem, em média, o tamanho de um carro. 
A primeira caixa-preta da aeronave já foi encontrada e será periciada, o que poderia explicar o motivo pelo qual um pedido de socorro não foi emitido pela tripulação. O equipamento não está em boas condições devido ao impacto, porém, espera-se conseguir alguma informação que ajude a esclarecer o caso. As buscas pela segunda caixa preta começaram nesta quarta-feira, 25. A neve no local dificulta o acesso e os resgates a possíveis vítimas. 
Duas hipóteses estão sendo analisadas para a causa do acidente: falha mecânica e terrorismo. O piloto possuía dez anos de experiência, ressaltando a hipótese de ataque terrorista, que não foi descartada pelas autoridades responsáveis pela investigação. Acredita-se, também, em falha mecânica por ser uma aeronave com 24 anos de uso, consideravelmente antiga.