Uma bomba explodiu em um posto de votação na Nigéria, neste sábado (28). O incidente, que faz parte de uma série de atentados, ocorreu horas antes da votação, e ninguém ficou ferido. Os nigerianos vão às ruas para escolher quem será o novo presidente do país. Contudo, antes do pleito começar, hackers iniciam ataques em alguns sites dos candidatos à presidência.

Processo eleitoral é interrompido em algumas regiões. Cerca de 15 mortes já foram registradas

Depois do início da votação em diversas regiões do país, de acordo com as últimas informações, até às 18h25, horário de Brasília, já tinham sido oficializadas quinze mortes.

Publicidade
Publicidade

Por conta da violência, algumas seções eleitorais tiveram o processo do pleito interrompido ou cancelado. Até amanhã (29), os nigerianos vão poder ir às urnas e escolher seus candidatos.

Já com as urnas abertas para a votação, as aldeias de Birin Birin Bolawa e Funali foram atacadas por homens fortemente armados. Segundo a agência Reuters, a ofensiva foi realizada pelo grupo extremista Boko Haram. As vítimas relataram que os agressores mandavam os nigerianos não votarem, e caso a ordem fosse desobedecida, a punição seria a agressão ou a morte.

Líder político é assassinado

Ainda nesse sábado (28), ocorreram ataques em Dukku e na cidade vizinha de Tilen. Segundo agências internacionais de notícias, foram efetuados disparos aleatórios nas pessoas que estavam na fila para votar. Só nessa região oito pessoas foram assassinadas, entre elas, um político, que era candidato de oposição da Assembleia para Dukku, em Gombe.

Publicidade

O atirador não foi identificado pelos moradores que presenciaram a tragédia.

O líder do Boko Haram, Abubakar Sheka, já havia ameaçado no mês passado prejudicar e até interromper todo o processo eleitoral na Nigéria. Segundo Sheka, a eleição não era aceita pelo profeta Maomé e fere gravemente os preceitos islâmicos. Nos últimos anos, o grupo armado já matou mais de seis mil pessoas, sendo considerada uma das maiores guerras religiosas que o mundo vive na atualidade.

23 pessoas foram decapitadas na sexta-feira

Na sexta-feira (27), mais de vinte pessoas tiveram suas cabeças cortadas em uma região no nordeste da Nigéria. Muitas casas também foram alvejadas por tiros. A Organização das Nações Unidas, a ONU, acompanha com apreensão a guerra civil vivida na região da África. #Terrorismo