Boko Haram sequestrou mais de 400 mulheres e crianças na cidade de Damasak no nordeste da Nigéria, que foi lançado este mês pela soldados do Níger e Chade, moradores disseram ontem. Além de levarem mulheres e crianças jovens os rebeldes mataram cerca de 50 pessoas antes de sair, informou um comerciante de Damasak chamado Suleymante Ali.

O tenente-coronel Mohamed Tomb, das forças dirigidas implantadas no Níger e Chade, disse que os moradores tinham relatado o seqüestro de entre 400 e 500 mulheres e crianças.

O grupo islâmico realizou anteriormente sequestros em massa. O última foi em abril, quando a captura de cerca de 300 estudantes da região provocou indignação internacional.

Publicidade
Publicidade

Tropas do Níger e Chade, na semana passada encontraram os corpos de pelo menos 70 pessoas. A aparente ao execução foi sob uma ponte que conduz para fora de Damasak, onde as ruas permanecem cobertas de escombros e carros queimados depois de combates.

O incidente ocorreu quatro dias antes da eleição, que deve ser realizado no próximo sábado (28). As eleições tiveram de ser adiadas por um aumento da violência no norte do país, onde o Boko Haram quer estabelecer um califado islâmico inspirado em outras organizações, como o Estado Islâmico.

Forças nigerianas e no vizinho Chade e Níger têm combatido a militantes do Boko Haram em algumas cidades da região em várias ofensivas simultâneas. Essas forças conjuntas desenvolvem operações aéreas para destruir bases do Boko Haram desde 08 de março, informou Moustapha Ledru, porta-voz do exército nigeriano.

Publicidade

Os insurgentes, acusados de ter matado cerca de 13.000 nigerianos nos últimos cinco anos, controlam a cidade de Damasak, no estado de Borno, desde novembro passado.

Obama apela pela paz

Enquanto isso, procurando estabelecer um clima de tranquilidade no país, o presidente dos EUA, enviou mensagem aos nigerianos apelando pela paz e para que seja evitada a violência nas eleições gerais a serem realizadas no sábado. Obama descreveu a votação como uma oportunidade histórica para o progresso no país mais populoso da África.

O presidente americano apelou a todos os nigerianos para expressar pacificamente suas opiniões e rejeitar as vozes daqueles que clamam por violência, em uma mensagem de vídeo gravado intitulada 'Ao povo nigeriano'.