A Coreia do Norte classificou nesta quinta-feira (5) o atentado ao embaixador norte-americano em Seul, Mark Lippert, como um "castigo justo". Em um comunicado da agência de notícias oficial KCNA, o país manifestou que o ataque reflete a postura da opinião pública da Coreia do Sul sobre os Estados Unidos.

Lippert foi esfaqueado por um homem de 55 anos enquanto participava de um café da manhã de trabalho em um centro cultural em Seul. O diplomata sofreu ferimentos no rosto e no braço, mas passa bem.

Segundo as testemunhas, o autor do ataque se manifestou contra as manobras militares realizadas em conjunto por Estados Unidos e Coreia do Sul, e também gritou a favor da reunificação das duas Coreias.

Publicidade
Publicidade

O comunicado da agência estatal, intitulado "castigo justo para os belicistas dos EUA", faz referência a esses exercícios militares, e afirma que eles causam uma crise na península coreana. O texto também se refere ao ataque contra o embaixador como uma "expressão de resistência".

Centro de tensão com a Coreia do Norte, os exercícios militares anuais realizados por Seul e Washington começaram na última segunda-feira (2) e têm oito semanas de duração.