Obama e Benjamin Netanyahu, uma novela que envolve audiência mundial. Quem diria que uma crise entre Estados Unidos e #Israel está prestes a surgir? Tudo aconteceu quando o premiê israelense anunciou ser contra qualquer medida que implique em dois Estados no principal duelo do Oriente Médio atualmente.

Benjamin Netanyahu manteve seu discurso com políticas de boa vizinhança até poucos dias antes da eleição. Há quem diga que o político apenas mudou de opinião de maneira repentina por causa do empate técnico dele contra seu principal concorrente ao poder executivo em Israel, conforme pesquisas pré-eleitorais.

Obama já disse em público sobre o fato dos Estados Unidos terem pretensão de apoiar Israel para sempre.

Publicidade
Publicidade

De modo aparente o atual dono da cadeira na Casa Branca repensa sua posição de apoio vitalício, afinal, ele tem a expectativa de encontrar solução pacífica à problemática do Oriente o quanto antes.

Fontes indicaram que depois da ONU receber o informe de Obama, sobre a reavaliação de Israel como parceiro, os norte-americanos devem considerar novidades para pressionar israelenses. Entre as quais se destacam: 1. Ameaça de retirar a proteção nos fóruns internacionais; 2. Mensagens contra a ocupação de judeus em assentamentos povoados.

EUA e Israel: Crise histórica?

Críticos indicam que EUA e Israel estão prestes a viverem a crise mais problemática entre as duas nações aliadas históricas. Interessante notar que estadunidenses e israelenses não se preocupam em minimizar a negatividade das relações.

Publicidade

De fato, após Netanyahu radicalizar sua posição para vencer as eleições, o relacionamento dos dois países está à ladeira abaixo.

Representantes do governo nos Estados Unidos se encontram céticos sobre a possibilidade da retratação de Netanyahu. Todavia, norte-americanos ainda não se pronunciaram de forma oficial quanto à confirmação das mudanças no relacionamento com Israel.

A grande tensão da perda de parte do apoio norte-americano está na ONU. Como se sabe, Estados Unidos são conhecidos por limitarem as ações palestinas no reconhecimento via Organização das Nações Unidas, sem contar que estadunidenses representam os principais protetores do atual isolamento internacional dos israelenses. #Estado Islâmico