Nos últimos anos, grupos internacionais de divulgação científica têm investido em cursos online gratuitos para auxiliar pesquisadores, profissionais e estudantes, que não possuem língua inglesa como idioma nativo, a publicarem pesquisas em revistas de elevado fator de impacto.

Segundo boa parte dos editores de jornais e revistas, a maior barreira enfrentada para a publicação de artigos científicos, em nível internacional, é a dificuldade de compreender e escrever em inglês, seguido da falta de conhecimento das regras e métodos para a publicação e envio de manuscritos a determinadas revistas ou jornais científicos ao redor do mundo.

Publicidade
Publicidade

Muitas revistas possuem características em comum, sendo pouquíssimas que possuem regras de formatação e detalhes únicos. Sendo assim, grupos como Springer oferecem em sua plataforma cursos gratuitos, além de disponibilizar ao pesquisador: material escrito, videoaulas, questionários e, até mesmo, certificação.

Nesses cursos é possível encontrar dicas e estratégias de como escrever um artigo robusto e cientificamente interessante. Como, cada vez mais, as exigências aumentam e o tempo para a avaliação, feedback, correção e publicação é muito curto, muitas pesquisas acabam sendo rejeitadas, simplesmente porque estão fora dos padrões internacionais, ou porque o autor principal não soube escrever uma boa carta de apresentação ao editor da revista alvo.

Além de dicas e métodos, essas plataformas também oferecem ferramentas que auxiliam o investigador a:

(1) Buscar por jornais que tenham interesse na publicação de seus resultados, através de um sistema de busca onde é necessário que o autor principal adicione o resumo de sua obra.

Publicidade

(2) Encontrar softwares que auxiliam na edição de dados, figuras, fotos e referências, auxiliando na formatação correta do manuscrito.

(3) Como proceder da melhor maneira para publicar artigos, revisões, livros, ou mesmo comunicações curtas, economizando bastante o tempo do autor e da equipe de editoração do jornal alvo.  #Educação #Inovação