Rafael Lusvarghi já foi policial militar e professor de inglês em São Paulo, porém hoje a sua rotina é diferente. Há seis meses, ele combate junto aos separatistas russos na Ucrânia. Por ter experiencia como policial, Lusvarghi é comandante de um dos grupos armados do leste ucraniano. Ele conta que chegou na cidade de Donbass, na região de Novorossiya em setembro do ano passado. Segundo o ex-policial, o conflito na Ucrânia não é uma guerra ''revolucionaria'' para de implantar qualquer tipo de novo regime econômico, é a consequência de um governo repressor.

Da cidade de Stakhanov, Rafael conversou por e-mail com a redação do Blasting News. Confira a entrevista:

Por quê você resolveu lutar com o grupo separatista da Ucrânia?

Decidi vir lutar aqui em apoio a população russa dessa região, pela glória e liberdade da Grande Rus. Em russo existe a diferenciação das palavras Rossyia e Russ - em português apenas Rússia - a primeira se refere ao governo e estado russo, enquanto a segunda é a tudo que é referência ao povo, cultura e história russa, pelos quais sou apaixonado desde infância.

Qual a sua função nos combates?

Comecei como instrutor, depois fui comando-avant-garde, depois artilheiro, depois infantaria de novo, e recentemente voltei a artilharia como Comandante de carro de combate Grad BM-21 (lança foguetes). Dado a situação em Debaltseve, eles pediram voluntários para o nosso batalhão. Ultimamente também tenho estado no cerco como infantaria em grupo de pronta resposta, onde precisam de reforços, eles enviam a gente. Para ser sincero, gosto muito mais que ser artilheiro.

Já sofreu algum ataque ou se feriu durante o combate?

Bombas e tiros passam perto de mim constantemente. Mesmo na artilharia, estilhaço de morteiro e obuseiro já atingiram minha mão e minhas costas, mas foi de leve. Eu estava utilizando colete naquele dia. Já estive em vários combates aqui, então o fogo cruzado, tanto de infantaria, carros de combate (tanques) e artilharia é algo do dia-a-dia.

Você tem alguma origem ucraniana?

Bom, primeiro de tudo, Ucrânia é também Rússia. Foi um estado criado por Lenin durante a Revolução de 1917, apenas com finalidades administrativas. Apenas um rápido mas importante adendo histórico, a Rússia nasceu em Kiev por volta dos anos 800 com o nascimento do primeiro estado eslavo, Kiev-Rus. Então com isso dito, sim, tenho origens desta região porque sou descendente de húngaros, que como magyares, também são povos eslavos.

Existe muita tensão onde você está combatendo?

Aqui tem bombardeios constantes. Em Debaltseve, guerra total. Interessante eu poder responder essa pergunta agora, pois deveria ter havido um cessar fogo. As forças da Ucrânia não respeitaram o acordo de Minsk, e claro nós nos defendemos. A minha unidade continua na ofensiva em Debaltseve. Essa á a interpretação de paz por parte do ocidente? Então vamos continuar fornecendo as forças ucranianas em todo o front um pouco da paz deles.

O que você e a população em geral no leste da Ucrânia pensa do acordo entre o Putin, Merkel e Holland?

Esse acordo pra nós, falando em português claro, foi uma droga. Aparentemente pra Ucrânia também, pois Poroshenko nem quis dar as caras em Kiev e as tropas aqui não pararam por um segundo o combate. Que vantagem para nós? Que não seremos considerados criminosos? Que manteremos as armas como milícia local? Se mantivéssemos a independência que já conquistamos, também! Qual a vantagem? Entregar nossas fronteiras? Fazer a paz com um inimigo que tem matado nossas crianças e mulheres? Que tem como governo pessoas criminosas e manipuladoras querendo acabar com nossa cultura, em favor de uma porcaria ocidental? Esse acordo mais me pareceu uma rendição e eu nunca pensei que escreveria isso, mas agradeço a todos na junta de Kiev por não o terem honrado! Porque nós, gostando ou não, obedecemos e honramos nossos líderes aqui na Novorossiya.

Putin é considerado o chefe de estado ou existe a vontade criar um novo estado com um chefe de estado próprio?

Putin é nosso representante internacional com carta-branca. Mas é de opinião da maioria das pessoas com quem falo que após guerra queremos ficar juntos com a Federação Russa. Um povo, uma nação. Afinal, porque os russos, como alemães, italianos, franceses, brasileiros, têm direito de ficarem unidos sobre um mesmo estado.

O que a mídia está noticiando é realmente o que está ocorrendo na Ucrânia ou existe fatos omitidos?

Não posso responder essa informação, pois não sei de primeira mão como tem sido o trabalho da mídia, mas entendo falar muito que não há divulgação aberta do que ocorre aqui, apenas, e pouco, pela mídia independente.

Como é o contato com a sua família? Você conversa com eles com frequência?

O contato com meus familiares e amigos é bom e regular. Eles entendem que por vezes fico em serviço sem possibilidade comunicação por alguns dias, as vezes semanas (já aconteceu de eu ficar 42 dias sem comunicação). Não é tão diferente de muitos trabalhos mais normais mesmo no Brasil.