No sábado (7), quatro explosões atingiram a cidade de Maiduguri, na Nigéria, deixando 30 pessoas feridas e pelo menos 50 pessoas mortas, conforme as autoridades locais. Já a agência de notícias francesa France Presse (AFP) afirma que há informações de que 58 pessoas foram mortas e mais de 130 ficaram feridas. A agência EFE relata que os serviços locais de emergência afirmaram que o número ainda poderia aumentar, visto que o hospital da cidade está lotado e ainda não conseguiu fazer uma apuração mais precisa do número de vítimas.


Os quatro ataques teriam sido realizados por homens-bomba em um período de apenas quatro horas, porém só foram divulgadas até o momento informações sobre três ataques, que ocorreram em locais de grande circulação de pessoas. As autoridades ordenaram o fechamento imediato de todo o comércio da cidade, que pareceu constituir alvo dos ataques coordenados.


Maiduguri, que possui cerca de 2 milhões de habitantes, está situada em uma área estratégica do grupo Boko Haram, que tenciona transformar a cidade em reduto de um Estado Islâmico nigeriano. As explosões ocorreram apenas dois dias depois do grupo extremista executar cerca de 70 pessoas, na mesma cidade.  Desde o início de sua insurreição, em 2009, cerca de 12 mil mortes já foram causadas pelo grupo jihadista, que costuma fazer ataques à vilas e promover ações suicidas.  O grupo afirma que luta contra a corrupção do governo, a prostituição e outros vícios, cujos culpados pela disseminação seriam, sobretudo, os cristãos e a cultura ocidental. Alguns especialistas suspeitam que possa haver ligação entre o Boko Haram e o Estado Islâmico (EI).


Desde o mês de janeiro, uma força composta por diversos países está a frente de uma campanha militar que pretende retirar o Boko Haram do poder e retomar o controle da cidade, assegurado a segurança da população.


As eleições presidenciais e parlamentares já foram adiadas em função da insegurança, o grupo extremista afirmou que as impedirá por meio de ataques violentos. A nova data marcada para a votação é dia 28 de março.
#Terrorismo