Nesta quinta feira, ocorreu uma audiência para analisar o recurso contra a rejeição do pedido de clemência solicitado pelo presidente da Austrália, a fim de impedir a execução de cidadãos do país. Com isso, uma ordem judicial adiou as execuções não só dos australianos, mas de todos os condenados que seriam executados no mesmo dia, como um brasileiro, franceses, filipinos, um ganense, nigeriano e indonésios.

Conforme regras formais do sistema de execução da Indonésia, os presos condenados já foram transferidos para a ilha de Nusakabangan, onde ocorrem as penas de mortes.

Na última quarta feira (18), o vice presidente da Indonésia, Jusuf Kalla, informou à agência de notícias Reuters, que o país está muito mais cauteloso em relação aos recursos, devido os esforços diplomáticos dos países que têm cidadãos no corredor da morte para tentar evitar as execuções.

Publicidade
Publicidade

Após a execução de um brasileiro em janeiro desse ano, as relações entre o Brasil e a Indonésia se abalaram, não sendo possível ainda mensurar as proporções econômicas e políticas da situação. Da mesma forma, a Indonésia se encontra em condições delicadas com os presidentes dos demais países do qual negou os pedidos de clemência dos executados de janeiro.

O vice presidente afirmou ainda que o país está disposto a ouvir e considerar as opiniões, não apenas da Austrália, mas também dos demais países com pedidos de clemência, como o Brasil e a França. Em janeiro a presidente Dilma Rousseff pediu clemência pela vida dos dois brasileiros condenados à morte, mas o presidente indonésio os negou. A presidente informou que pediria clemência novamente, mas dessa vez pela vida de Rodrigo, uma vez que Marcos fora executado há dois meses.

Publicidade

Dos dez condenados, quatro recorreram contra a sentença após o presidente Joko Widodo rejeitar os seus pedidos de clemência em 2014. A família do brasileiro preso, Rodrigo Gularte, pediu clemência por motivos de doença mental. O procurador geral do país disse aos jornalistas em Jacarta, que a situação de Gularte estava em análise, bem como ele estava sendo examinado por profissionais médicos. As autoridades locais estão aguardando os resultados para proferir uma decisão. #Justiça