Parecia ser uma noite normal, até o momento que Jessica Chambers passou no posto de gasolina em que estava acostumada e abasteceu seu carro. Normalmente Jessica pedia US$5 (cerca de R$16), mas naquela noite abasteceu US$14 (cerca de R$45).

Jessica relatou a um amigo, Ali Fadhel, que trabalha em uma loja de conveniência local, que iria a 'um lugar', como uma forma de justificar o abastecimento 'anormal'. Ali afirmou que se algo estivesse errado, ela teria contado.

Pouco mais de uma hora e meia depois de abastecer o carro, Jessica foi encontrada com 98% do corpo queimado, agonizando ao lado do seu veículo, que também foi queimado.

Publicidade
Publicidade

O corpo da jovem foi encontrado cerca de um quilômetro e meio do posto de combustível.

A moça foi levada para o hospital, mas não resistiu as queimaduras, vindo a óbito no dia seguinte. Pouco antes de falecer, Jessica falou, com dificuldades, algumas palavras. Os investigadores do caso acreditam que ela estivesse tentando dizer quem foi o responsável por esse cruel episódio, contudo, a péssima qualidade do áudio da gravação impossibilitou a compreensão do que foi proferido pela jovem antes de morrer.

Após realizar a autópsia, os legistas constataram que a moça foi obrigada a beber fluído de isqueiro antes de ser incendiada, fazendo com que pegasse fogo por fora e por dentro ao mesmo tempo.

As câmeras de segurança existentes no posto de gasolina, mostraram um homem enchendo um galão de gasolina e olhando para Jessica enquanto ela abastecia.

Publicidade

As imagens mostraram que esse mesmo homem se dirigia para o carro de Jéssica, contudo, depois disso, as câmeras não registraram outras movimentações. Não se sabe se ele estava no carro com Jessica ou se estava em outro veículo, mas acredita-se que ele esteja envolvido no ato violento.

As investigações do caso também trabalham com a hipótese de Jessica ter sido abordada por algum estranho armado na estrada. As duas linhas de investigação são válidas para o caso, até que a polícia chegue a uma conclusão. Os pais da moça estão desolados. Sua mãe pede justiça e seu pai ainda não consegue acreditar como ainda não encontraram o assassino em uma cidade tão pequena, em que todos se conhecem.

A Polícia de Courtland estabeleceu uma recompensa de US$11 mil por qualquer informação que os leve ao assassino de Jessica. Uma página foi criada no Facebook, chamada 'Justice For Jessica', onde os criadores e simpatizantes pedem maior rigor nas investigações do caso. A página já conta com mais de 100 mil curtidas. #Crime