O ex- governante militar Muhammadu Buhari tornou-se o primeiro candidato da oposição a ganhar as #Eleições presidenciais na Nigéria.

As eleições no país mais populoso da África tiveram um resultado surpreendente e histórico, com o atual presidente Goodluck Jonathan admitindo a derrota para o candidato da oposição general Muhammadu Buhari, do partido All Progressives Congress (APC).

Apesar das diversas alegações de fraudes, tentativas de desestabilização, perseguições e mortes provocadas pelo grupo terrorista Boko Haram, observadores internacionais congratularam as eleições, sendo vistas como um avanço democrático em um país marcado pela violência étnica e religiosa.

Publicidade
Publicidade

Não obstante, o risco de conflagrações entre os grupos que apoiam o presidente e os que apoiam o candidato da oposição ainda é muito alto, haja vista que é a primeira vez na história da Nigéria que um candidato oposicionista vence as eleições com um presidente candidato no poder, revelando um progresso em uma democracia ainda nascente.

O país tornou-se independente da Inglaterra em 1960, e desde então vem sofrendo um processo contínuo de golpes, eleições manipuladas, fraudes e violência, aos moldes do padrão já visto em numerosos países da África. Em uma disputa acirrada, existe um potencial conflito entre aqueles que perderam a eleição, mas que no processo democrático, não devem ser alijados da administração do país. Neste caso, as eleições na Nigéria revelaram novamente os profundos conflitos que vive essa Nação, com divisões relacionadas à religião (com perseguição e assassinato de cristãos) e disputas regionais (ligadas sobretudo ao controle de regiões ricas em petróleo).

Publicidade

Os resultados divulgados revelam que o General Buhadi venceu as eleições com 15 milhões de votos, à frente de seu concorrente Goodluck que obteve 12.8 milhões de votos. Os resultados foram declarados em todos os estados, faltando ainda Borno, o qual é visto como uma das bases do partido APC vencedor.

Os apoiadores do General Buhari tomaram as ruas em comemoração, principalmente nas cidades de Kano e Kaduna, cantando e dançando, celebrando a vitória do novo presidente.

Vários são os novos desafios do novo governo, que perpassam: o controle por parte do Estado de seu próprio território, atualmente com partes controladas pelo Boko Haram e invasões efetuadas por países estrangeiros no combate ao grupo terrorista; violência desenfreada étnica e religiosa; economia baseada no petróleo com preço em baixa; regiões separatistas onde estão localizadas as maiores jazidas de petróleo etc. #Terrorismo