Logo após a confirmação da queda do avião Airbus A320 da companhia aérea alemã Germanwings no início da manhã desta terça-feira 24, nos Alpes Frances, iniciaram as investigações em busca de respostas que possam apontar as causas desta tragédia aérea que ceifou 150 vidas.

A promotoria de Düsseldorf na Alemanha e de Marselha na França iniciaram as investigações oficiais na manhã desta quarta-feira dia 25, com o intuito de desvendar o que realmente aconteceu nos 08 minutos em que o avião praticamente desceu em queda livre vindo a se destroçar nos Alpes Franceses.

Ao contrario do que a principio se noticiou, que a bordo do avião que partiu de Barcelona com destino a Düsseldorf na Alemanha estavam apenas espanhóis e alemães, foi confirmado pela empresa aérea que estão entre as vítimas fatais do acidente: 72 alemães, 35 espanhóis, 02 australianos, 02 americanos, 02 argentinos, 02 iranianos, 02 venezuelanos, 01 britânico, 01 belga, 01 colombiano, 01 dinamarquês, 01 holandês, 01 israelense.

Publicidade
Publicidade

No mesmo dia, após o acidente, foi encontrada a caixa preta do voo 4U9525 Germanwings. Mesmo danificada, os especialistas do Escritório de Investigação e Análise para a segurança da aviação civil (BEA, na sigla em francês) afirmam que as conversas que aconteceram na cabine estão preservadas. Entretanto, até este momento, ainda não foi possível detectar as possíveis causas deste acidente trágico. Segundo a BEA, a última mensagem enviada pelo piloto foi de rotina e dentro dos padrões da aviação. De acordo com o diretor da BEA o senhor Rémi Jouty, ao que tudo indica o avião não explodiu no ar e que o voo aconteceu até o fim, ou seja, até atingir o solo. Porém, nenhuma possibilidade está descartada.

A busca pela segunda caixa preta continua e é imprescindível encontra-la para que eles tenham em mãos os parâmetros do voo.

Publicidade

Porém, os destroços da aeronave estão espalhados por uma região de difícil acesso, por isso as buscas podem demorar mais do que o esperado.

Familiares das vítimas continuam esperando o resgate e identificação dos corpos. Um grupo de legistas foi enviado a região onde o avião caiu para tentar adiantar os trabalhos, mas encontrar e identificar os corpos não vai ser uma missão fácil devido às características do acidente. Resta aos familiares uma espera angustiante e repleta de questionamentos.

O presidente da empresa aérea Lufthansa deu uma declaração a respeito do acidente com o avião Airbus A320 de sua subsidiária Germanwings segundo ele, "a empresa aérea Lufthansa vive os momentos mais dramáticos de seus 60 anos de história" e garante que a empresa "não economiza nem economizará em segurança".

Hoje (26) novos indícios foram encontrados e acredita-se que o copiloto posa ter derrubado o avião propositalmente.