Em operação contra o #Terrorismo, realizada na Catalunha, foram detidas dez pessoas, todas por suposto envolvimento com grupos jihadistas radicais, de acordo com dados informados pela polícia local, nesta quarta-feira (08). As forças policiais da região teriam realizado treze diferentes operações nos arredores de Barcelona, capital da Catalunha, e em Tarragona. A polícia afirma que o grupo de pessoas presas é acusado de vários delitos com relação às práticas extremistas do jihadismo e do Estado Islâmico.

Algumas fontes indicam que as operações realizadas nesta quarta-feira possuem relação com outra de dezembro 2014, em que três jovens acabaram presos.

Publicidade
Publicidade

Todos eles residiam na Catalunha e foram pegos pela polícia na Bulgária, em uma tentativa de chegar à Turquia para se unirem ao #Estado Islâmico na Síria. Entre eles, estava o jovem brasileiro Brian de Mulder, convertido ao Islã, e dois rapazes de origem marroquina.

Entre as 98 mesquitas da Espanha, que aderem ao pensamento mais radical do Islã, 50 estão na Catalunha. A preocupação do governo é evitar que tais mesquitas sejam usadas por jihadistas para recrutamento de jovens espanhóis, convertidos ao islamismo.

Somente neste ano, a polícia espanhola prendeu mais de 30 pessoas por relação com o terrorismo. As primeiras prisões do ano ocorreram no dia 24 de janeiro, nas quais, quatro pessoas, que, de acordo com a polícia, planejavam um atentado suicida, foram presas na cidade de Ceuta, na fronteira da Espanha com Marrocos.

Publicidade

Em fevereiro, em uma operação para desarticular uma rede de recrutamento do Estado Islâmico, mais quatro pessoas foram presas pela Guarda Civil, duas na Catalunha e duas em Melilla. No dia 07 de março, um marroquino, que pretendia se juntar ao EI, foi impedido de embarcar para a Síria, no aeroporto de Barcelona, junto a seu filho de três anos.

Em 10 de março, mais duas pessoas foram detidas e um grupo de jihadistas, que se preparava para promover uma série de ataques no país, foi dissolvido. No fim de março, um casal de marroquinos e seus filhos gêmeos, de 16 anos, foram detidos em Barcelona por suposto envolvimento com um grupo de recrutadores de jovens, que eram enviados à Síria.