Após um tiroteio, ao menos 20 pessoas morreram nesta terça-feira (7), em Andhra Pradesh (ou Andra Pradexe), estado localizado na região sul da Índia, com cerca de 50 milhões de habitantes. O tiroteio teve início por volta das 7h (horário de Brasília), quando policiais responderam aos tiros disparados por supostos traficantes de madeira, em uma floresta da região de nome Seshachalam. De acordo com os policiais, a força de segurança teve de abrir fogo para se defender dos contrabandistas, que ao todo passavam de 100.

Após o tiroteio, foram encontrados nove corpos em um local da floresta e mais onze em outro ponto mais distante, cerca de um quilômetro à frente, foi o que afirmou o comandante da polícia, Kantha Rao.

Publicidade
Publicidade

O comandante ainda disse que os traficantes receberam ordem de entregar a madeira roubada, mas se recusaram e abriram fogo contra os policiais. Os suspeitos ainda usaram pedras, flechas e barras de ferro para agredirem os militares. A maioria dos homens parecia pertencer ao estado vizinho, Tamil Nadu.

De acordo com os representantes dos direitos humanos de Andhra Pradesh, o contrabando de madeira é frequente na região. O tipo de madeira de sândalo, aromática e principalmente usada em perfumaria e fabricação de leques, não é bem precificada na Índia, mas é muito procurada no país vizinho, a China, o que estimula ainda mais os contrabandistas. Na China este tipo de madeira pode ser vendido a preços altíssimos, e é usada na confecção de móveis, cosméticos, instrumentos musicais, medicamentos, entre outros.

Publicidade

Contudo, alguns ativistas e políticos da oposição são contra as informações divulgadas pela polícia local, e afirmam que os suspeitos mortos eram apenas trabalhadores desarmados. Foi feito um pedido para que as investigações se aprofundassem, para reavaliar o caso. De acordo com o porta-voz da UPLC (União Popular para as Liberdades Civis), S. Balamurugan, tudo não passou de um massacre, planejado pela polícia.

O número de mortes do confronto foi registro como o maior até agora, em relação ao tráfico de madeira no país. #Ataque #Violência