Mais de 30 motoristas de taxi chineses tentaram cometer suicídio depois de beberem produtos químicos. Eles foram impedidos pela polícia de Pequim e ninguém ficou gravemente ferido. Os motoristas de táxi foram encontrados inconscientes e espumando pela boca, ao lado de um centro de compras. O grupo realizou o ato de envenenamento coletivo como protesto contra o governo chinês.

Fotografias publicadas em mídias sociais mostraram multidões atordoadas olhando para os motoristas caídos no chão, por trás de cordões policiais. Aparentemente, mais de 30 motoristas participaram do ato. Dez participantes foram seriamente afetados, tendo ficado estirados no calçadão para pedestres do movimentado centro comercial Wangfujing.

Publicidade
Publicidade

A polícia informou que os motoristas foram levados para um hospital.

Segundo fontes policiais, os motoristas são todos de uma cidade na província norte-oriental de Heilongjiang, que faz fronteira com a Rússia. Todos eles são motoristas classificados como 'individuais', sugerindo que eles não trabalham para empresas de táxi, mas foram obrigados a obter contratos de agências governamentais.

Insatisfeitos, os motoristas viajaram a Pequim para peticionar contra a reforma de 4 anos, afetando empresas de táxi nas renovações de leasing, de acordo com uma reportagem do jornal 'South #China Morning Post'.

Um dos motoristas, falou com a reportagem do jornal antes que a polícia interviesse. Ele contou que haviam chegado de trem em Pequim na segunda-feira, mas não obtiveram resposta depois de apresentar sua queixa tanto para a Secretaria de Estado de Cartas e Chamadas e do Ministério dos Transportes, setor de trabalho.

Publicidade

Ocorrências de litígios com autoridades governamentais são comuns na China e, ocasionalmente envolvem auto-agressão ou suicídio, às vezes com uso de injestão produtos químicos.

Em julho do ano passado, um grupo de 7 manifestantes viajou de uma província rural a Pequim para tentar o suicídio nas imediações de um escritório de um jornal. Eles estavam irritados com a compensação recebida de parte do governo, depois que as autoridades locais tomaram a sua terra. O grupo de peticionários tentou o suicídio, mas terminaram sendo impedidos e depois detidos pela polícia local.