Um novo anúncio do grupo terrorista #Estado Islâmico alarmou líderes mundiais no último sábado (11) quando diversas contas associadas ao grupo extremista jihadistas passaram a twitter a mesma hashtag #WeWillBurnUSAgain, que quer dizer 'nós vamos queimar os EUA'. Outras ameaças também foram proferidas na campanha contra os americanos, anunciando repetir o mesmo atentado do dia 11 de setembro, quando aviões foram lançados contra as Torres Gêmeas. Junto com a hashtag, vídeos de outras barbáries também foram divulgadas pelos terroristas, que já deixaram claro que o intuito é levar a guerra aos EUA.

A campanha demonstra uma nova estratégia de ataque do EI, que focava anteriormente o Iraque e a Síria, deixando o Ocidente para a Al Qaeda quanto a prática do #Terrorismo.

Publicidade
Publicidade

Os atentados passaram a mudar o foco após o governo e as milícias locais de Tikrit, na Síria, terem retomado o poder no mês passado, fazendo com que os extremistas perdessem poder nesta região, apesar do EI ter avançado em outras comunidades.

Durante o vídeo divulgado contra os EUA o narrador diz "Os EUA pensam que estão a salvo pela sua localização geográfica. Mas o sonho dos americanos de ter segurança se tornou uma miragem".

O vídeo é uma intenção de inspirar seguidores do grupo terrorista EI a agirem como "lobos solitários", retratando que estratégias de ataques esporádicos podem estar sendo planejados contra o Ocidente. Durante a campanha de levar guerra aos EUA, os extremistas também revelam que o Comando Central dos EUA já tiveram suas contas de redes sociais invadidas pelo grupo, além de informações de cunho pessoal de solados americanos.

Publicidade

Nas imagens divulgadas no vídeo de campanha contra o país americano, o atual presidente, Barack Obama, também é retratado como um diabo, além de fotos de soldados feridos combatentes dos EUA.

Durante a campanha nas redes associadas ao grupo terroristas, seguidos lançaram frases de apoio a novos atentados contra o povo americano, revelando uma maneira de reforçar o poder exercido pelo EI. #Violência