Enquanto a crise balança o setor automotivo, há um segmento da indústria aeronáutica que segue voando em céu de brigadeiro. De acordo com a Embraer, os jatos executivos - que hoje representam 16% do faturamento da empresa - responderão por 25% dos negócios da companhia nos próximos anos.

Já segundo a Associação Brasileira de Aviação Geral (ABAG), o Brasil tem a segunda maior frota mundial de jatinhos e este nicho apresenta um crescimento anual médio de 6% no país. Por isso, era grande a expectativa para a apresentação do novo membro da linha Citation da Cessna, o Latitude.

O fabricante apresentou nos Estados Unidos a primeira unidade do oitavo e mais novo membro da família, que aguarda certificação norte-americana (FAA) ainda para este semestre.

Publicidade
Publicidade

As entregas da aeronave, que acumula mais 1.200 horas de voo, também começam neste ano e seu preço fica um pouco abaixo dos US$ 15 milhões - o equivalente a R$ 47,4 milhões. "Nossos investimentos, em relação ao jato executivo vão além de suas características técnicas e incluem novos sistemas de automação e uma nova linha de montagem", disse o presidente da Cessna, Scott Ernest.

Com capacidade para até nove passageiros, o Citation Latitude ocupa posição de destaque na gama e, acima dele, só as versões Sovereign+ e X+, que levam até 12 passageiros. O jatinho tem alcance de 5.000 quilômetros (2.700 milhas náuticas) e liga São Paulo, a partir do Aeroporto de Congonhas, a qualquer capital sul-americana, sem escala - viagens para Nova Iorque podem ser feitas com apenas um reabastecimento e, para Paris, com dois.

Publicidade

A aeronave é equipada com motores Pratt & Whitney Canada PW306D1, com 5.760 libras de empuxo, cada. O modelo opera em pistas curtas, com distância de decolagem de 1.120 metros, e teto operacional de 45 mil pés (mais de 13.700 m de altitude). Sua velocidade máxima de cruzeiro é de 826 km/h (Mach 0.8) e sua capacidade de carga, de 454 quilos.

No campo da aviônica, o Citation Latitude traz a suíte Garmin G5000, com três visores de 14 polegadas sensíveis ao toque e visão sintética (SVT). Entre seus recursos, sistemas automático de controle de voo (AFCS), de referência de altitude e rumo (AHRS), anticolisão de tráfego (TCAS 2) e de alerta de proximidade do solo (TAWS), além de radar meteorológico e transponders com tecnologia ADS-B Out, de maior precisão. O jatinho é operado por dois pilotos.

Para os passageiros, há muito espaço na cabine - que tem piso plano e 1,83 m de altura - e um sistema assinado pela Clarity que proporciona conectividade para o trabalho e entretenimento como passatempo. #Curiosidades