Um estudo recente realizado por pesquisadores da Nanyang Technological University, Bradley University e da Universidade de Missouri, Columbia descobriu que os usuários viciados ​no Facebook podem experimentar a inveja - o que pode levar à extrema tristeza.

O estudo descobriu que aqueles que se dedicam à "utilização de vigilância", comparando a sua vida com a dos próprios amigos, muitas vezes experimentam sentimentos de inveja.

"Se o Facebook é usado para 'bisbilhotar' o quão bem sucedido ou quão feliz é o velho amigo em seu relacionamento - coisa que causa inveja em outros usuários - o uso do site pode levar a sentimentos de depressão", disse Margaret Duffy, professora na Universidade de Missouri School of Journalism.

Publicidade
Publicidade

Este não é apenas um fenômeno da faculdade. Estou chegando a meia-idade e uso a rede social para me relacionar no dia a dia.

O Facebook é uma grande parte da minha vida. Como a maioria dos usuários do Facebook, tenho o app no ​​meu telefone. Eu verifico-o no trabalho. Eu vejo-o em casa, quando estou fora. Se estou em uma estação de metrô com Wi-Fi, eu não perco a oportunidade de verificá-lo novamente.

Estou a par de todos os meus amigos, seus filhos e tudo o que eles estão lendo naquele momento. Infelizmente, é um vício que eu não posso parar", declara Margaret.

Um artigo publicado no Journal of Social e Psicologia Clínica, pela psicóloga Mai-Ly Steers, mostra que há uma estreita correlação entre usar o Facebook e os sintomas depressivos. No entanto, isso "não significa Facebook provoca depressão, mas que os sentimentos de depressão estão ligados à quantidade de tempo que os usuários passam conectados na rede social, comparando-se a vida dos outros.

Publicidade

Steers espera que seu estudo possa levar àqueles que sofrem de depressão, cortar seu tempo no Facebook. Ela disse: "Esta pesquisa e a pesquisa anterior indica que o ato de socialmente comparar-se aos outros, está relacionado com as emoções destrutivas de longo prazo. "

Para o pesquisador Edson Tandoc, existe a necessidade de se fazer uma distinção entre o bom uso e o mal uso do Facebook.

"Usar a ferramenta social para manter contato com amigos e familiares, bem como partes importantes de suas vidas, não sofrem de sintomas de depressão associados ao uso do site, finaliza."