Um estudo realizado pelo Centro de Pesquisas Pew, com sede nos Estados Unidos, traçou um prognóstico do crescimento das principais religiões do mundo nas próximas décadas. A informação mais expressiva do relatório apresentado na última quinta-feira (2) aponta que os muçulmanos praticamente alcançarão os cristãos em quantidade em 2050, graças a um grandioso crescimento que o Islamismo deve experimentar nas próximas décadas.Hoje são em torno de1,6 bilhões de fiéis.

O Islã já é a #Religião que mais avança na atualidade. Os muçulmanos devem crescer em torno de 73%, segundo o relatório, um número bem maior do que os 35% estimados para a ascensão da população mundial.

Publicidade
Publicidade

Além do número de conversões, são apontadas como causas do crescimento do Islamismo a taxa de fertilidade - superior a dos cristãos - e a média de idade mais baixa de seus fiéis.

Os principais segmentos religiosos do planeta, com exceção do Budismo, devem apresentar crescimento nas próximas décadas. O relatório do Centro de Pesquisas Pew apresenta outras estimativas curiosas: o Cristianismo perderia na Europa, durante as próximas décadas, cerca de 100 milhões de fiéis, deixando de ser a maioria em países como a França e a Inglaterra. A projeção indica que, de cada 10 cristãos, 4 estarão no continente africano.

De acordo com os números apresentados, além de continuar avançando rapidamente na Europa, onde deve representar 10% da população, o Islamismo crescerá também nos Estados Unidos, superando o Judaísmo como maior religião não-cristã.

Publicidade

O país com o maior número de muçulmanos será a Índia, enquanto o Cristianismo experimentará seu maior crescimento no continente americano, além do Oriente Médio e na África Subsaariana. Na América Latina, os cristãos permanecerão em maior número, ultrapassando a marca dos 650 milhões de fiéis.

Embora com crenças fundamentalmente inconciliáveis, a origem das duas religiões (bem como o Judaísmo) passa por um personagem em comum: o patriarca Abraão, cujo nome significa justamente "Pai de Multidões". As divergências, que se arrastam ao longo dos séculos e apresentam contornos violentos nos últimos dias, tendem a ficar ainda mais acirradas com a expansão do Islamismo. A mesma pesquisa que aponta que em 2050 o número de muçulmanos chegará a 2,75 bilhões contra 2,9 bilhões de cristãos, prevê que a partir de 2070 o Islamismo será a religião com maior número de fiéis de todo o planeta.

O Centro de Pesquisas Pew salientou ainda em seu relatório que aspectos como catástrofes naturais, guerras e oscilações econômicas podem modificar sensivelmente as tendências apresentadas.