O acordo nuclear projetado pelo Irã e outras grandes potências mundiais nesta quinta-feira (2), foi rejeitado por #Israel, que critica o pacto por considerá-lo muito distante da realidade vívida por todos os países. O país pretende continuar com a luta para que não seja dado nenhum passo equivocado em relação ao acordo.

"Os sorrisos dos representantes dos países em Lausanne (Suiça) são totalmente opostos à realidade de miséria do Irã, que continuamente se recusa a fazer concessões no âmbito nuclear, ameaçando constantemente a Israel e a todos os outros países do Oriente Médio e da Europa, principalmente", afirmou Yuval Steinitz, ministro de Assuntos Estratégicos.

Enquanto os detalhes do acordo preliminar eram completados, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, utliizou a rede social para através de um post no Twitter exigir que quaisquer acordos com o Irã sejam revistos, necessitando que o próprio Irã inverta de forma adequada e significativa sua força nuclear. Netanyahu anexou ao post um diagrama demonstrando como é realizado o envolvimento do Teerã nos conflitos no Oriente Médio, no Líbano, Egito, Iraque e Iêmen, reiterando o pedido de Israel de que o Irã, antes de lançar acordos, encerre as práticas terroristas que ameaçam o mundo inteiro.

O acordo que está sendo articulado com o Teerã tem sido alvo de críticas do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu desde o início das negociações. Em discurso nos Estados Unidos, no mês passado, Netanyahu polemizou ao afirmar que o acordo era um "mau negócio", deixando as relações com o presidente Barack Obama mais tensas. Segundo o primeiro-ministro de Israel, o acordo não impediria que o Irã amentasse ainda mais o seu poderio nuclear, o que constituiria grande perigo para Israel, inimigo declarado do Irã, e para o mundo, de maneira geral.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, informou que ainda nesta quinta-feira (2) conversaria por telefone com o primeiro-ministro Netanyahu, quando então poderão discutir sobre as dúvidas do primeiro-ministro e sobre as possíveis soluções, apresentadas e apoiadas pelos Estados Unidos. Israel considera o programa nuclear proposto pelo Irã uma verdadeira afronta, e já anunciou que pode vir a atacar o país, caso o acordo seja oficializado.

#Terrorismo