As atrocidades cometidas pelos radicais islâmicos do EI não param. Nos últimos dias, uma criança de nove anos foi resgatada por uma ONG (Organização Não Governamental) curda e levada para a Alemanha, onde está recebendo atendimento médico. A menina havia sido sequestrada e mantida em cativeiro junto com outros duzentos e vinte yazidis desde junho do ano passado. Semana passada, e segundo informações locais, todos esses sequestrados foram libertados em Kirkuk.

O jornal britânico The Independent afirmou que a menina de apenas nove anos está grávida. Um agente humanitário que teve contado com a criança, disse que a mesma está completamente traumatizada física e psicologicamente.

Publicidade
Publicidade

Ele ainda acrescenta que ela é tão nova e pequena que poderia morrer se precisasse dar à luz.

Nos últimos anos, as denúncias de torturas, abusos e violações de direitos praticados pelo #Estado Islâmico tem aumentado assustadoramente. Dentre as diversas acusações, o grupo não aceita que exista outras concepções e religiões pelo mundo. Até mesmo muitos muçulmanos são contra o grupo terrorista, que segundo eles, distorce os ensinamentos que devem ser praticados pelos seguidores de Alah.

As notícias mais comuns envolvendo os jihadistas é de pessoas sendo decapitadas por pertencerem a nações rivais ou religiões abominadas pelo grupo (judeus e cristãos). Recentemente, vinte homens cristãos foram mortos decapitados. O grupo costuma divulgar vídeos dos atos criminosos.

Dentre os objetivos dos terroristas, está o de levar o islamismo radical aos quatro cantos do mundo e o de exterminar Israel, até que não exista mais nenhum judeu no mundo.

Publicidade

O grupo também abomina o cristianismo e mais de uma vez crucificou cristãos, bem como mandou um recado em vídeo para a "nação da cruz", avisando que eles sofreriam as consequências de suas escolhas.

O grupo atua no Oriente Médio, sobretudo, em países mais pobres ou com administração política precária, como a Síria. Também estão na Europa, onde já realizaram vários atos terroristas. Muitos conseguem entrar nos Estados Unidos, que, por sua vez, tem serviços policiais exclusivos para investigar e prender qualquer suspeito de #Terrorismo, desde os ataques ao Word Trade Center em 2001. #Violência