Grass Günter é o principal escritor alemão desde o término da Segunda Guerra Mundial. Começou a ser destaque na #Literatura Alemã desde os anos 50, quando publicou o livro "O Tambor", que logo se transformou em filme e ganhou o prêmio 'Palma de Ouro', em Cannes. Em 1999, ganhou o prêmio máximo da Literatura Mundial, o Nobel. A causa da morte não foi informada no boletim médico, o que se sabe é que o escritor estava internado na cidade de Lübeck, norte alemão, segundo a editora Steidl.

A entrada na Waffen-SS

Em 2006, pouco antes de publicar sua autobiografia, "Nas Peles da Cebola", (traduzida no Brasil pela Record), o escritor confessou que participou da juventude Waffen-SS nazista, aos 17 anos.

Publicidade
Publicidade

O escritor escondeu esse fato desde o término da Segunda Guerra, e quando o revelou ao jornal Frankfurter Allgemeine Zeitung, os críticos e grande parte dos seus leitores se revoltaram e o chamaram de hipócrita (o escritor era muito respeitado e lido pela sociedade alemã).

Porém, Grass se defendeu afirmando que à época se declarar contra o Nazismo era pedir para morrer ou viver como um rato se escondendo. "A coisa mais importante para mim naquela época era escapar, não estar longe de minha família", disse Grass ao jornal.

Escritor premiado

Na época em que foi premiado com o maior prêmio da Literatura Mundial, a academia sueca explicou os motivos do prêmio dizendo que Grass contribuiu em suas publicações para que o mundo conhecesse, de fato, a parte obscura da época nazista.

Publicidade

Ele muitas vezes revelou "vívidas fábulas negras", que "retratam a face esquecida da história".

Em suas obras, é nítido a exploração de Grass com relação a culpa no pós-guerra. "Eu vivi aquela época com um olhar inocente, participei de tudo e vi o entusiasmo das pessoas em defender o Nacional Socialismo, após o término da Guerra, as pessoas simplesmente diziam que foram iludidas e forçadas, isso é cumplicidade", afirma o escritor em entrevista.

"O Tambor", uma das primeiras e a principal obra do escritor, retrata bem o pós-guerra e principalmente a situação da guerra na cidade de Danzig, que hoje se transformou na polonesa Gdanski.

Condolências por parte de autoridades

Grass Günter, além de escritor, era também um crítico político acentuado. Apoiou por muito tempo o Partido Social Democrático Alemão, partido que faz parte do governo de Angela Merkel. O presidente Joachim Gauk e autoridades políticas afirmam que o escritor teve papel importante na política alemã. O presidente e Angela Merkel prestaram condolências à morte do escritor.