Nesse sábado (25), um terremoto de 7,8 graus atingiu o país, destruindo milhares de casas e empresas, deixando mais de mil e quatrocentos mortos. Durante a noite, muitas pessoas sentiram medo de um novo tremor e preferiram dormir nas ruas, com receio de que suas casas desabassem em um possível terremoto.

Nesse domingo (26), era previsto a busca por possíveis sobreviventes, resgate de algum corpo preso sobre escombros e a tentativa de retomar a vida, reconstruindo os sonhos despedaçados há menos de vinte e quatro horas. Mas um novo tremor de terra, de 6,7 graus na escala Richter, atingiu a Capital Nepalesca, bem como foi sentido, em menor proporção, em Bangladesh e no norte da Índia.

Publicidade
Publicidade

Um Everest se formou em virtude do tremor e pelo menos dez montanhistas morreram, segundo informações divulgadas pelo governo do Nepal.

Diversas organizações de todo o mundo estão se mobilizando para ajudar as vítimas sobreviventes. Uma delas foi a ROWW, ONG, criada pelo ator Paul Walker, coordenada pelo seu irmão Cody Walker, que visa arrecadar fundos para ajudar vítimas de catástrofes naturais. O que inspirou o ator a criar o projeto foi o terremoto que devastou o Haiti em 2010. Todos os anos, voluntários e funcionários da organização viajam pelo mundo com remédios, alimentos, brinquedos e roupas para desabrigados.

O governo americano divulgou nas últimas horas a doação inicial de um milhão de dólares para ajudar a suprir as primeiras carências dos desabrigados, bem como o envio de uma equipe especializada em catástrofes naturais.

Publicidade

O governo chinês enviou uma equipe de resgate do exército para o Nepal que deve chegar nas próximas horas ao local atingido para ajudar a encontrar corpos e atender feridos.

O último terremoto que a região sofreu e que teve grandes proporções ocorreu há dez anos, quando cerca de oitenta e quatro mil pessoas morreram na Caxemira paquistanesa e indiana. O número de mortos da tragédia de ontem supera duas mil e trezentas, mas acredita-se que mais corpos serão encontrados entre os escombros. #Crise