Hoje pela manhã o porta-voz da cidade de Goldsboro, na Carolina do Norte - Estados Unidos, comunicou que ocorreu um tiroteio no Centro Universitário Público do Estado, onde uma pessoa foi ferida por tiros e acabou morrendo. A informação foi transmitida pelo então porta-voz Kim Best.

A universidade onde ocorreu os disparos foi a Wayne Community Collegee, o tiroteio teria começado por volta das 8 horas da manhã (horário local) e ocorreu dentro da biblioteca. As autoridades trabalham com um suspeito - sujeito de altura 1,80, branco, tem cavanhaque e uma tatuagem sobre o olho esquerdo - mas não se sabe ao certo quem provocou os disparos, nem o porquê e nem mesmo se começou por uma pessoa ou mais de uma.

Publicidade
Publicidade

A universidade, que conta com mais de 4.000 estudantes em período integral, está isolada enquanto a polícia faz as investigações, o campus inteiro foi colocado em confinamento.

Casos de tiroteios em universidades nos Estados Unidos são relativamente comuns. Ainda em fevereiro deste ano - dia 05 - outro tiroteio aconteceu desta vez na Carolina do Sul e resultou na morte de dois estudantes. Na ocasião, os disparos teriam acontecido por uma discussão particular, o desfecho ocorreu no prédio de pesquisas em saúde pública e as autoridades trataram o caso como um assassinato seguido de suicídio.

Dezenove dias depois do caso na Carolina do Sul, outro tiroteio dentro de campus universitários deixou os estudantes e autoridades em alerta no estado da Flórida na Universidade Bethune - Cookman.

Publicidade

Na ocasião, os disparos também foram provocados por discussões particulares e os tiros atingiram pessoas inocentes, três feridos foram socorridos a tempo e não houve mortes.

As opiniões sobre esse número alarmante de casos de #Violência em universidades e em escolas geram opiniões diversas na sociedade norte-americana. Alguns dizem se tratar de traumas causados pela violência social, familiar, bullyng e humilhação frequente das redes sociais. Os jovens expostos a esse cotidiano se tornam mentalmente violentos e não são acompanhados por trabalhos terapêuticos. #Crime