Nove britânicos foram deportados pelo governo da Turquia nesta terça-feira (14). Eles foram presos no dia 1º de abril em Hatay, na região sul do País. O grupo, formado por duas mulheres, três homens e quatro menores - um deles bebê com apenas um ano de vida - pertencia a mesma família e tentava entrar na Síria para unir-se ao Estado Islâmico.

Os noves detidos foram levados à Adana, cidade do sul da Turquia, para embarcarem em um voo com destino a Antalya, de onde seguiriam viajem para a Grã-Bretanha. O governo turco proibiu que todos os integrantes do grupo permanecessem em seu território.

O caso ganhou notoriedade na Grã-Bretanha devido ao fato de que um dos detidos é filho de Shakil Ahmed, um vereador trabalhista da cidade de Rochdale.

Publicidade
Publicidade

Waheed Ahmed, de 21 anos, foi preso ao retornar, nesta terça-feira, para a Grã-Bretanha. Todos os deportados foram presos pela polícia no aeroporto de Birmingham. Eles foram acusados por suspeita de 'ordenar, preparar ou instigar' atos terroristas.

Na última segunda-feira (13), dados revelados pela União Europeia indicam que cerca de 5 mil europeus já deixaram seus países em direção à Síria, onde teriam se unido a grupos islâmicos radicais, como o Estado Islâmico. O número pode ser ainda maior devido às dificuldades de controle do tráfego terrestre de pessoas dentro da União Europeia. A maioria dos europeus contabilizados utilizou-se dos serviços de transporte aéreo para deslocar-se para as regiões dos conflitos.

Destes 5 mil, a estimativa é de que 600 sejam britânicos, dentre os quais encontra-se Mohammed Emwazi, apelidado de 'Jihadista John' em meios de comunicação da Grã-Bretanha e conhecido por aparecer em vários vídeos de decapitações, promovidos pelo EI.

Publicidade

O combate ao recrutamento de jovens na Europa tem sido uma das grandes preocupações de vários países, que tem procurado desfazer redes de recrutamento lideradas por militantes jihadistas. O intuito é evitar que jovens europeus sejam convencidos a associar-se aos grupos islâmicos radicais, seja migrando para regiões de conflito, seja agindo como recrutadores de outros jovens. #Terrorismo