Quem nunca imaginou ir à Lua? Viajar no espaço, local onde poucas pessoas tiveram a oportunidade de estar, na imensidão que desperta o interesse de muitos. Para o universitário brasiliense Pedro Doria Nehme, este é um sonho que está próximo de se realizar. Ele ganhou uma #Viagem para o espaço por meio de um concurso cultural de uma companhia área holandesa. A viagem será no ano que vem.

Pedro, que tem 23 anos, será o segundo brasileiro a ir ao espaço, sendo o primeiro civil. Antes dele, em 2006, o espaço já tinha recebido o tenente-coronel da FAB, Marcos César Pontes. Ele ganhou a viagem em 2013, quando chegou próximo ao resultado de um desafio proposto pela companhia: acertar em qual altitude um balão de gás hélio, lançado da Terra, estouraria.

O universitário sempre gostou de assuntos relacionados ao espaço.

Publicidade
Publicidade

Durante a sua graduação, ele teve a oportunidade de estudar na Catholic University of America, em Washington, EUA. Em 2012, ele havia feito um estágio na NASA, nos EUA. Em 2013, ele era estagiário da Agência Espacial Brasileira. O voo, de aproximadamente uma hora, será realizado na nave Lynch, da Space Expedition Corporation (SXC), que fará, a partir do ano que vem viagens, comerciais ao espaço, ao preço de US$ 107 mil.

Em março, ele esteve na Filadélfia, EUA, onde realizou uma série de atividades. Pedro também foi ao Rio de Janeiro, onde passou por vários procedimentos que simulam situações no espaço, como a ejeção de um avião, descompressão de uma cabine e uma possível hipóxia, que é quando o oxigênio diminui e o corpo sente os sintomas. Os testes servem para verificar as condições do estudante em situações adversas no espaço.

Publicidade

Nos próximos meses ele irá para Rússia, participar de treinamentos em gravidade zero. No mês de setembro, ele irá para Holanda, onde fará treinamentos de voo. A ansiedade toma conta do jovem brasileiro, que já sabe o que quer depois desta experiência. O universitário pretende atuar na área espacial, já que para ele, existem muitos desafios para os novos pesquisadores e para o Projeto Espacial Brasileiro.