O desastre aconteceu, segundo o programa Paquistão, ao amanhecer nesta sexta-feira. Um helicóptero levava convidados para o lançamento de uma atração para um polo turístico. Ele caiu em um acidente que provocou explosão e grandes labaredas de fogo, segundo moradores da região.

O helicóptero carregava 19 pessoas (número informado como 17 pessoas, por outros noticiários), foram vitimadas sete pessoas (número também não confirmado). Entre estas pessoas estavam diplomatas estrangeiros em visita ao país, para participar das festividades de inauguração de um polo turístico.

A queda foi durante um desembarque em Naltar, um vale no distrito de Gilgit, no norte do Paquistão.

Publicidade
Publicidade

Investigações iniciais apontam para uma falha técnica no motor do helicóptero. Aizas Ahmad, ministro de relações exteriores declarou, ao fazer o comunicado que a transformação do acidente em um atentado, solicitada como de autoria do grupo de talibans pasquistaneses, não era verdade. Porta-voz do grupo taliban alegou que a queda era devida ao lançamento de um míssil anti-aéreo. O ministro negou qualquer atividade terrorista como envolvida no acidente. É comum o taliban assumir autoria de atos que não cometeu.

O exército paquistanês relata que entre os mortos estão o embaixador Leif H. Larsen da Noruega, o embaixador Domingo D. Lucenario Jr. das Filipinas, as esposas dos embaixadores da Malásia e Indonésia, dois pilotos do helicóptero e um membro da tripulação. Foi desmentido o anúncio que os embaixadores da Polônia (Andrzej Analicz) e o embaixador holandês (Marcel de Vink) estavam entre os feridos.

Publicidade

Na ocasião não estava em aulas a escola pública do exército em Naltar. Foi uma sorte, declarou um dos alunos. Se estivesse em aulas, o número de vítimas poderia ser maior. Um vídeo filmado por um turista que estava em um hotel, foi divulgado logo após o acidente pela rede televisiva no Paquistão e entregue para as agências internacionais. Nele é possível observar o helicóptero em chamas e logo em seguida prédio da escola, também em chamas.

Na ocasião do acidente o primeiro-ministro do Paquistão Nawaz Sharif estava a caminho da festividade em seu próprio avião. Ele expressou profundo pesar e tristeza pelo acidente, conforme porta-vozes de seu escritório informaram. Foi anunciado um dia de luto oficial pelo ocorrido. Logo após o pronunciamento do primeiro ministro, foi a vez de Mamnoon Hussain, o presidente paquistanês lamentar o ocorrido.

O helicóptero estava em condições de voo e havia, recentemente, passado pelo serviço regular de revisão, mas ainda assim, as suspeitas colocavam a causa do acidente como uma falha técnica. Mais um acidente a ser contabilizado e que orienta para que maiores cuidados sejam tomados para evitar enlutar diversas famílias. #Terrorismo