Destroços da nave espacial russa Progress M-27M poderão atingir o território brasileiro nessa sexta-feira (8). A cápsula não tripulada sofreu uma falha no sistema de lançamento e está fora de controle desde a semana passada. Segundo o G1, a agência espacial da Rússia divulgou que a Progress M-27M entrará na Terra por volta das 19h13 dessa quinta-feira (7). O processo de desintegração da nave deve durar até as 22h51. No site da agência espacial Roscosmos, um comunicado prevê o contato da nave com a atmosfera entre 1h13 e 4h51 dessa sexta-feira (8), horário de Moscou (fuso horário com 6 horas de diferença do Brasil).

Pedaços da cápsula também poderão cair nos Estados Unidos, na Colômbia e na Indonésia.

Publicidade
Publicidade

Segundo o Diário de Pernambuco, os locais foram calculados a partir da trajetória da nave, que indicou 51.6 graus ao norte ou ao sul da linha do Equador. A Roscosmos declarou que uma "bola de fogo" poderá ser vista no céu, conforme as condições climáticas da área em que os destroços caírem. Segundo o G1, uma fonte do setor aeroespacial informou que a queda do cargueiro russo não oferece perigo, pois os maiores fragmentos serão desintegrados nas camadas mais densas da atmosfera.

As causas reais do incidente ainda não foram confirmadas, embora os engenheiros russos especulem uma explosão no lançamento do Soyuz, foguete impulsionador. O cargueiro russo transportava 2,5 toneladas de suprimentos destinados à Estação Espacial Internacional (ISS), como oxigênio, combustível, alimentos e equipamentos avaliados em US$ 90 milhões.

Publicidade

Apesar desse problema, os astronautas poderão continuar com o trabalho no espaço, pois o próximo cargueiro será lançado no terceiro trimestre de 2015.

Segundo o G1, as naves Progress estão entre as razões de orgulho da indústria aeroespacial da Rússia. Até o momento, só haviam sofrido um acidente, por um problema do foguete portador em agosto de 2011. Desde a falha no sistema da Progress M-27M, a Energuia, fabricante das naves cargueiras, insistiu que não haveria riscos para as áreas atingidas pelos destroços. Um relatório será elaborado na próxima semana com as conclusões sobre o caso. #Curiosidades