O #Estado Islâmico tomou Ramadi, no Iraque, neste domingo (17), após a invasão da última sexta-feira (15), à sede do governo local, combatida num intenso ataque aéreo pelos militares norte-americanos, que agora deixam a área. Foi o que informou o porta-voz do governo da província, Muhannad Haimour.

Ramadi é capital de Anbar, que fica à 100 quilômetros de Bagdá.

Os insurgentes jihadistas invadiram e tomaram uma importante base militar na tarde deste domingo (17), forçando Haider al-Abadi, primeiro-ministro do Iraque, a autorizar as forças paramilitares de origem xiita a entrarem em combate, no intuito de retomar a província, cuja maioria é de origem sunita (Agência Reuters).

Os integrantes do Estado Islâmico atacaram o Comando de Operações de Anbar, obrigando os membros das Forças Militares a deixar o local. Um oficial iraquiano, que não quis se identificar, afirmou que os insurgentes pediram, através de um megafone, que os soldados iraquianos deixassem suas armas, e assim retornassem em segurança para suas residências. "Estamos presos no Comando de Operações pelo EI, e estão nos atacando com morteiros", disse um militar que está no interior da base.Ele ainda informou que os combatentes do EI invadiram as ruas, com armas de fogo e atirando bombas: "A situação no momento é de caos e estamos fora de controle. O Estado Islâmico está tomando Ramadi", disse o oficial.  #Terrorismo

Ramadi é a primeira grande cidade tomada pelo EI no Iraque, e é a capital de Anbar. A situação já estava crítica há muitos dias em Ramadi, mas a presença das forças militares e grupos paramilitares levava a crer que os membros do Estado Islâmico retrocederiam, como no ano de 2014, com a ajuda dos militares enviados pela coalizão que tem os Estados Unidos como líder. A tomada de Ramadi teve seu início na sexta-feira (15), quando os extremistas tomaram a sede do governo e fincaram uma bandeira negra no prédio central. Entretanto, o grupo jihadista foi detido pelas forças especiais iraquianas em Mallab.


Na tarde deste domingo (17), o Péntagono, que é a sede de Defesa dos Estados Unidos, emitiu uma nota sobre o assunto. Segundo a porta-voz Maureen Schumann, "qualquer opinião mais profunda sobre os acontecimentos em Ramadi são, neste momento, precoces". Ela também confirmou que os Estados Unidos estão reorganizando um contra-ataque e que a monitoração da área de Ramadi continua sendo feita.


O Pentágono, sede da Defesa dos EUA, se manifestou no fim da tarde deste domingo sobre o assunto. De acordo com a porta-voz da instituição, Maureen Schumann, "é muito cedo para tecer comentários sobre a situação na região. Ela acrescentou dizendo que "os Estados Unidos continuam a monitorar o difícil combate em Ramadi e a situação permanece fluida e contestada".