O calor excessivo tem causado bastante preocupação na Índia após, em menos de uma semana, mais de mil pessoas morrerem pelas altas temperaturas. Apenas na região de Andra Prasesh, local que mais sofreu com o calor, as autoridades contabilizam cerca de 800 mortos, enquanto o estado vizinho, Telangana, registrou mais de 200 mortes. Além dessas regiões, outras partes do país também estão sendo afetadas, como a capital Nova Délhi e algumas regiões do Centro e do Leste da Índia. Para se ter uma ideia da onda de calor, na segunda-feira (25), o departamento meteorológico do país chegou a registar a temperatura de 47 graus no Estado de Odisha.

A maioria dos mortos são pessoas de baixa renda, mendigos ou desabrigados, além de trabalhadores braçais que acabam tendo de se expor ao sol durante o regime de trabalho ao ar livre.

Publicidade
Publicidade

Como cerca de um terço da população de 1,2 bilhão de pessoas não possui acesso a energia elétrica, boa parte dos indianos não possui alternativas para enfrentar o calor, como ar condicionados ou ventiladores, por isso várias pessoas têm se abrigado em lojas e shoppings durante o dia para aproveitar o ar condicionado desses locais. Ainda assim, até os que possuem energia elétrica têm sofrido, já que, dada a alta demanda pela quantidade maior de equipamentos ligados, o serviço está bastante inconstante.

Segundo os meteorologistas, grande parte do problema acontece em decorrência dos ventos secos que chegam do Paquistão e trazem a onda de calor que tem complicado bastante a situação dos indianos. Para os próximos dois dias, as notícias não são muito animadoras, já que há uma expectativa de que as temperaturas elevadas continuem acontecendo, sem qualquer previsão de que a situação de fato melhore.

Publicidade

As altas temperaturas até são comuns na Índia, porém o calor tem se intensificado bastante nos últimos anos, provocando inúmeras mortes. A esperança agora está na chegada das monções ao país, que trarão bastante chuva, mas que só devem ocorrer em cerca de uma semana. Até lá, as autoridades têm alertado a população para ficar o máximo do tempo possível em casa e ingerir bastante líquido. #Natureza