Um menino de apenas oito anos foi encontrado em uma mala de viagem por funcionário que cuidam da fronteira entre Espanha e Marrocos. Eles encontraram a criança depois de passar a mala no equipamento de raio-X. Nas imagens foi possível ver que tinha uma criança escondida entre as roupas.

Quando os oficiais abriram a mala, o garoto disse em francês: “Oi, meu nome é Abou”. De acordo com o The Independent, uma jovem de 19 anos foi identificada como sendo a responsável pela mala e por isso foi presa na última quinta-feira. Ao passar pelo setor da alfândega, a mulher pareceu muito nervosa e foi isso que despertou a desconfiança dos oficiais.

Publicidade
Publicidade

Segundo um membro da Guarda Civil, Abou poderia ter ficado sufocado e a história poderia ter um final trágico. Até agora, um homem da Costa do Marfim se identificou como pai da criança e está preso enquanto as investigações não são concluídas. A polícia acredita que a intenção da mulher seria vender o menino na Espanha. De acordo com o El País, o menino estava sendo acompanhado pela jovem que é moradora da cidade Castillejos, em Marrocos. Ainda não se sabe qual era o destino final da “mala”.

Em entrevista, Alfonso Cruzado, porta-voz da Guarda Civil em Ceuta, explicou que é muito comum tentativas para entrar ilegalmente no país, porem em seu anos de serviço nunca viu algo tão dramático e grotesco, ainda mais envolvendo uma criança.

O garoto saiu da mala aparentando estar bastante assustado e desnorteado, mas conseguiu explicar que veio da Costa do Marfim.

Publicidade

Cruzado explicou que Abou foi examinado pela Cruz Vermelha e foi contatado que ele está bem, apesar do susto que passou.

No momento, a criança ainda tem destino incerto e está sob custódia da Promotoria de Menores da Cidade Autônoma. Outro fato surpreendente dessa história é que algumas horas depois do incidente com a criança, na mesma fronteira apareceu um homem dizendo ser da Costa do Marfim. Ao ser interrogado, ele assumiu ser pai de Abou e disse que estava lá para encontrá-lo. A jovem e o homem estão presos sem direito a pagamento de fiança. #Família #Opinião