O dia nove de maio de 1945, marca a capitulação da alemanha nazista à União Soviética. A data é comemorada desde o ano de 1965, apenas por alguns países. A preservação da memória de uma nação a leva a impedir erros no presente e evitar erros no futuro. O que parece não ser o caso na atualidade. Principalmente ao se levar em conta a incorporação da Crimeia, ação que causou descontentamento internacional. O conflito com a Ucrânia ainda está longe de acabar, como deseja a comunidade internacional.

Estampadas nos jornais, estão as imagens do que foi considerado como o maior desfile militar russo na atualidade. Foi para comemoração dos 70 anos do dia da vitória (cuja data é contraditória, mas considerada pelos russos como tendo ocorrido na data assinalada).

Publicidade
Publicidade

Como sempre o desfile foi imponente. Para o comum dos mortais, impressiona a concatenação dos soldados marchando de forma impecável, o que faz lembrar os videoclips apresentados pelo Pink Floyd, na divulgação da música "another brick in the wall", de temática política.

Foram milhares de soldados e algumas personalidades políticas de menor importância, devido à atuação da Rússia na Ucrânia. Ação que recebe o repúdio ocidental e europeu. Seu presidente, segue a linha de outros presidentes russos e, considera que a cooperação global está sendo colocada em risco, com a efetivação do bloqueio financeiro imposto à Russia. Os países europeus questionam se este bloqueio não está sendo prejudicial à propria Europa, o que levou o presidente Putin, em declarações anteriores a sugerir que a Europa rejeite a aproximação com os Estados Unidos e se una à Eurásia.

Publicidade

As vozes das seis mil pessoas mortas até agora, confirmam o recrudescimento das ações, ainda que Putin negue estar armando os rebeldes no leste da Ucrânia. As regiões de Donetsk e Luhansk aparecem manchadas de sangue no mapa da guerra entre os dois países.

Apesar de agradecer a participação internacional na ocasião, Putin não deixou por menos e alertou para o fato que, na atualidade os princípios básicos da cooperação internacional estão sendo violados, esquecendo das violações que o seu país comete.

Novas armas de guerra, tais como o tanque Armata T-14, considerado uma fraude por alguns, foram apresentadas. Quanto ao supertanque, correspondentes ocidentais dizem que ninguém viu o protótipo e outros consideram uma reprodução de outros anteriores, com pequenas modificações. Quem sabe ele seja apresentado às vítimas ucranianas, se as coisas prosseguirem como estão. Petro Poroshenko, o presidente ucraniano, em cerimonia de colocação de cora de flores em Kiev, rebate declarações do presidente russo, considerando-o como um facista.

Publicidade

Uma centena de aviões alegraram as crianças presentes na parada, alguns esquecidos que seus irmãos jazem em covas rasas. O desfile foi na tradicional e conhecida praça Vermelha. Putin estava lado a lado com os presidentes da china e do Cazaquistão. O míssil balístico intercontinental marcou sua presença no evento. Havia mais de vinte líderes mundiais no evento. A surpresa do desfile foi a participação, pela primeira vez, de tropas chinesas. Fato que revela uma aproximação entre a Russia e a China que pode preocupar as potências ocidentais.

Recordar é preciso, mas fatos políticos não podem ser distorcidos. A #História deve ser mantida viva para que erros passados não sejam repetidos no presente e permitam que um futuro melhor seja obtido pela humanidade, esperança que, para muitos, perde cada vez mais sua credibilidade. #Curiosidades