Jack Warner, ex-vice-presidente da FIFA, foi acusado de participar dos esquemas de corrupção levantados recentemente pelo FBI. Novas alegações apontam que ele teria desviado pagamentos de fundos de emergência para a sua conta bancária. Documentos levantados pelos investigadores norte-americanos apontam que Warner é responsável de desviar aproximadamente R$ 2.300.000 em fundos de emergência doados pela FIFA e pela Associação de #Futebol da Coreia, destinados às vítimas do terremoto de 2010 no Haiti.

O ex-vice-presidente foi preso no mês passado em Trinidad, a pedido das autoridades norte-americanas, e enfrenta processo de extradição por acusações de corrupção e lavagem de dinheiro.

Publicidade
Publicidade

Em 2012, a FIFA teria doado R$ 775.000, e a Federação da Coréia do Sul R$ 1.525.000, para auxilio emergencial no Haiti, que não chegaram ao país de destino. A conta na qual foram feitos os depósitos eram controladas unicamente por Jack Warner, que chamou de conspiração essas acusações.

Novas alegações também surgiram envolvendo a sede da copa de 2022. Frank Lowy, presidente da Federação Australiana de Futebol (FFA), pediu o inicio de um inquérito sobre um pagamento de R$ 1.200.000 feito como parte da tentativa fracassada da Austrália para sediar a Copa do Mundo. Esse dinheiro também teria terminado em uma conta bancária pertencente ao acusado. Frank Lowy afirma que a Copa do Mundo de 2022 só será no Catar por terem sido capazes de pagar uma quantia maior, já que o clima com temperaturas chegando a 50 graus célsius não é o mais propício a pratica de esportes.

Publicidade

Além da Copa do Mundo de 2022, a sede de 2010 também está sendo investigada. Novas alegações apontam para um pagamento de R$ 31.000.000 que foram declarados como uma contribuição para financiar um programa de legado no Caribe, e que na verdade seriam destinados a uma conta da FIFA em Zurique.

O Departamento de #Justiça dos EUA pediu o indiciamento de 18 pessoas, incluindo 13 executivos da FIFA, por acusações de corrupção. O governo Sul-Africano nega ter pagado qualquer tipo de suborno para ser a sede da Copa de 2010. #Mídia