Nessa terça-feira (02), em Zurique, onde fica a sede da FIFA, Joseph Blatter renunciou ao cargo de presidente da Federação Internacional de #Futebol (FIFA), posição para a qual foi reeleito na última semana.

Blatter convocou o Comitê Executivo de maneira extraordinária. A imprensa foi pega de surpresa, a coletiva foi marcada às pressas e os jornalistas nem desconfiavam do que se tratava. Ele afirmou que não estava tendo apoio para seguir a frente do órgão futebolístico e assim decidiu convocar o comitê para realizar novas eleições, que deve se reunir até o final do ano ou no mais tardar, no começo do próximo ano.

Após o maior escândalo do futebol mundial, que levou para a cadeia 6 dirigentes da FIFA, as pressões em cima do atual presidente, que assumiu o cargo pela 5º vez, foi o suficiente para fazer com que o Blatter renunciasse ao maior cargo do futebol.

Publicidade
Publicidade

A renúncia aconteceu no dia em que o jornal britânico, The Independent, publicou que a UEFA e outras entidades estariam dispostas a boicotar a Copa do Mundo de 2018, que acontecerá na Rússia, além disso, o ex-presidente da Associação Dinamarquesa de Futebol propôs um torneio alternativo para concorrer diretamente com a FIFA.

A crise na FIFA tomou proporções maiores nesse começo de semana, onde o braço-direito de Blatter, Jerome Valcke, foi acusado de ter autorizado o repasse de 10 milhões para o então vice-presidente da Concacaf, Jack Warner, do dinheiro que ia para a Copa do Mundo da África do Sul. Os investigadores desconfiam que o dinheiro foi dado como pagamento ao Jack Warner, por ter votado a favor da África do Sul para a Copa do Mundo 2010.

Ainda não se sabe o rumo que o Futebol mundial irá tomar, há dúvidas de que se somente a renúncia de Blatter bastaria para renovar o futebol e satisfazer as entidades futebolísticas do mundo.

Publicidade

Há pressões também para revogar a decisão da Copa do Mundo na Rússia, e Londres toma a liderança dessa decisão, pois disputava o recebimento da Copa de 2018. Também há discussões sobre a Copa do Catar, que mudará o calendário (quando os jogos ao invés de acontecerem em junho/julho, acontecerão em novembro/dezembro). #Corrupção #Resenha Esportiva