Ser livre para decidir, ir e vir. É esse o tema de conscientização e convite para a luta contra o tráfico de pessoas e seu impacto na sociedade. Campanhas como o ´Coração Azul´ (Blue Heart) encorajam a participação em massa à causa e servem de inspiração para ampliar o diálogo entre defensores públicos e sociedade a fim de implementar medidas que ajudem a acabar esse crime hediondo.

Lançada em 2013 pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC-ONU), o ´Coração Azul´ tem se mostrado eficaz no combate à setores e entidades que continuam a ignorar os Direitos Humanos. É  um protesto contra a pobreza, a corrupção e a injustiça.

Publicidade
Publicidade

No Brasil, a data é marcada pela Semana de Mobilização, que vai de 27 a 31 de julho. O Ministério da #Justiça (MJ) convida todos a participar desse movimento de alerta e prevenção de novas vítimas. Haverá seminários, palestras, audiências públicas, mostras, blitzes educativas e caminhadas. Em algumas cidades, monumentos e prédios públicos receberão iluminação especial para chamar a atenção da sociedade sobre o tema.

Em pleno século XXI o tráfico de pessoas é ainda uma realidade atávica. Segundo Nilson Mourão, secretário de Justiça e Direitos Humanos do Acre (Sejudh), mulheres são as principais vítimas do crime. Nos últimos dois anos, de acordo com ele, a Sejudh acompanhou, junto com a Polícia Federal no Acre (PF-AC), quatro casos denunciados como tráfico de pessoas. Entretanto, após apurações, somente um dos casos foi realmente confirmado como tráfico.

Publicidade

A morosidade nesse tópico deve ser lembrada fervorosamente para que os criminosos sejam punidos perante a lei. Ameaças silenciam o processo judicial e a investigação feita pela Polícia e as manifestações devem ter voz para que essa violência, muitas vezes oculta, termine em prisão dos réus.

A formação de Força Tarefa é uma solução necessária para fechar o cerco contra o crime organizado. Entre as rotas usadas para o tráfico de pessoas, o secretário destaca que Cuiabá, São Paulo e, principalmente a Bolívia, por ser uma zona de fronteira com o Acre, são as mais usadas pelos criminosos. Segundo Mourão, até o momento a Estrada do Pacífico ainda não foi usada como rota para o crime.

O tráfico de pessoas é a retirada da pessoa de seu ambiente, de sua cidade e até de seu país para fins como exploração sexual, trabalho equivalente ao de escravo, extração de órgãos humanos, adoção ilegal e muitos outros. Não permita que esse crime passe despercebido, pois é o terceiro mais lucrativo no mundo, segundo dados da ONU.

Publicidade

Para saber quais ações serão realizadas no seu Estado acesso o Facebook e o Twitter do MJ. Interagir e compartilhar as informações de alerta e prevenção contra o tráfico de pessoas é uma forma de mostrar sensibilidade às vítimas. Use o coração (azul) na Campanha. 

Luta internacional

A visita de Barack Obama na África, nesta semana, é outra vitória, considerada por muitos estudiosos um ato histórico rumo à luta contra o terrorismo. Direitos humanos e a crise do Sudão no Sul são pautas da agenda e marcam a primeira visita de um presidente norte-americano na Etiópia, que possui parceria com os EUA na luta contra o terrorismo, nos serviços de inteligência e envio de tropas para a Somália para enfrentar a instabilidade na região. #Legislação #Direto