A Coreia do Norte foi bem enfática ao informar que manterá o seu programa nuclear - essa declaração se refere ao recente acordo histórico, e que certamente abriu um novo capítulo nas relações internacionais, que foi o acordo fechado entre o Irã e os países do Grupo 5+1, que são Estados Unidos, França, China, Rússia, Reino Unido e mais a Alemanha, sobre o programa nuclear do Irã.

O acordo com o Irã

O acordo com o Irã prevê que as dúvidas sobre a natureza das atividades atômicas do Irã sejam esclarecidas, algo que a AIEA (Agência Internacional de Energia Atômica) tenta há mais de 10 anos. "Acabo de assinar um roteiro entre a República Islâmica do Irã e a AIEA para esclarecer passados e presentes temas pendentes sobre o programa nuclear", anunciou o diretor-geral do órgão vinculado à ONU, Yukiya Amano.

Publicidade
Publicidade

O país terá suas capacidades nucleares limitadas e em troca terá alívio nas sanções.

A posição da Coreia do Norte

Não há interesse da Coreia do Norte no diálogo com os Estados Unidos nos mesmos moldes do acordo feito com o Irã, declarou,por meio de nota nesta terça-feira (21), o Ministério das Relações Exteriores do país. De acordo com a Reuters, a nota também continha a informação de que a Coreia julga seu programa nuclear uma "intimidação essencial" contra as políticas externas dos Estados Unidos.

Segundo o país, eles estão sempre sujeitos a hostilidades vindas do país norte-americano e que por isso não é muito lógico pensar que eles seguiriam o exemplo do Irã, nem seria lógico comparar a situação deles com o acordo feito com o Irã sobre o seu programa nuclear. Com relação às "hostilidades", a nota citava grandes exercícios militares e uma grave ameaça nuclear.

Publicidade

O potencial nuclear da Coreia do Norte

Segundo afirmou recentemente a Comissão Nacional de Defesa (CND), a Coreia do Norte começou, há algum tempo, a miniaturizar armas nucleares - o objetivo é diversificar meios para um #Ataque nuclear. Outra informação dada foi de que já alcançaram um alto índice de precisão, tanto para mísseis de curto e médio alcance quanto para mísseis de longo alcance. Para complementar e finalizando o assunto, a nota da comissão diz: "Não escondemos esse fato". #EUA