Oskar Groening sempre se considerou uma peça importante na máquina de matar dos nazistas. Ele tinha 21 anos de idade quando foi contratado como guarda-livros no Campo de Concentração de Auschwitz, onde era responsável pela catalogação do dinheiro e valores retirados da bagagem de prisioneiros recém-chegados.

Na última terça-feira (14), Oskar foi levado à julgamento, acusado de ser um acessório para 300 mil assassinatos. O agora idoso, com 94 anos de idade, parecia ter tido uma mudança de coração, declarando que lamenta sinceramente não ter reconhecido antes que não poderia tomar parte dos massacres que ali ocorriam. Nesta quarta-feira (15) pela manhã, Groening foi considerado culpado e condenado a quatro anos de prisão, seis meses mais do que os promotores tinham pedido.

Publicidade
Publicidade

Durante o julgamento, Groening tinha sido brutalmente franco sobre o que testemunhou e participou durante a sua permanência em Auschwitz, entre maio e julho de 1944. Ele narrou ao tribunal sobre seu primeiro dia na rampa onde os prisioneiros judeus chegavam ao Campo de Concentração.

No centro do caso foi a questão controversa de saber se pessoas como Groening, que estavam engrenadas no maquinário nazista, mas não participaram ativamente nos assassinatos, são culpados de um crime. A resposta costumava ser "não", mas o caso do guarda de um campo de concentração, John Demjanjuk, mudou a forma como os promotores viam essa questão, e decidiram perseguir um caso contra Groening, já que o acusado tinha envolvimento nas finanças dos nazistas, o que o torna cúmplice de assassinato de judeus.

Publicidade

O veredito de culpado desta quarta-feira foi bem acolhido por grupos que trabalham para aumentar a conscientização sobre o Holocausto. Mesmo sem ter assassinado diretamente nenhum judeu, Oskar ajudou e facilitou para que 300 mil pessoas fossem mortas. Outros trabalhadores de campos de concentração também poderiam ir a julgamento, mas como poucos ainda estão vivos, Groening deve ser um dos últimos nazistas à enfrentar um tribunal. Ainda não se sabe se Oskar será considerado saudável o suficiente para cumprir pena em uma cela de prisão. #História #Legislação