Joaquim Guzmán Loera gosta de matar, mas só quando sabe que vai provocar um grande sofrimento à sua vítima. O bandido está classificado como um predador de sangue frio e mente complexa e que acima de qualquer coisa ama o poder, o domínio.

Isso é o que revela um relatório psicológico organizado pela Procuradoria Geral da República. Esse relatório transformou-se em um raio x do narcotraficante que virou lenda, após sua 'fuga cinematográfica' da prisão de segurança máxima de Altiplano.

Nesse documento é possível notar que toda essa energia de Guzmán é fruto de uma grande frustração. Ele nasceu há 57 anos, nas montanhas de Badiraguato, no estado de Sinaloa-México.

Publicidade
Publicidade

O garoto vivia com a família em uma área rural e muito pobre e sempre sofreu maus tratos por parte do pai. De baixa estatura, 'El Chapo' sentia um terrível complexo de inferioridade, por isso surgiu o apelido.

O grande líder do Cartel de Sinaloa explodiu seus ressentimentos dirigindo toda sua agressividade para praticar o mal, sem um mínimo de culpa.

Conforme o relatório ele é obstinado e mantém sempre uma expressão superior e intelectual, sua ambição pelo poder não conhece limites. Isso tudo ele usa para encobrir um sentimento de inferioridade que o acompanha desde criança.

Chapo nunca sente remorso por suas vítimas, para ele, matar é apenas um negócio que tem de ser bem feito. Segundo dizem os psicólogos da promotoria, 'ele se sente um líder e tem bons sentimentos, acha-se solidário, protetor e apadrinha quem necessita'.

Publicidade

O narcotraficante de Sinaloa cultivou essas características em sua cidade e é reverenciado como um senhor feudal, transmitindo a todos a imagem de bandido bonzinho. Mas se ele se vê em qualquer situação de perigo logo a sua máscara cai, deixando vir à tona toda sua ferocidade.

'É um sedutor, faz com que as pessoas confiem e se sintam dependentes dele, mas não perdoa quem o trai. Cumpridor de seus compromissos e também das vinganças, usa qualquer método de #Violência se for ameaçado.

Lobo em pele de cordeiro

Esse é o retrato de 'El Chapo', uma vida sustentada por atos calculados e sanguinários. Sua fortuna foi avaliada em mais de US$ 1 bilhão, apesar disso, ele é discreto e não gosta de ostentar. A regra número um, aprendeu com seu professor Miguel Ângel Félix Gallardo: nunca misturar drogas com extorsão ou sequestro. #Ataque #Crime