Nesta quarta-feira, a guerrilha comunista informou que vai ordenar um cessar-fogo unilateral a partir de 20 de julho com duração de um mês. O objetivo é diminuir o conflito armado em resposta aos apelos de quatro países que estão acompanhando a tentativa de processo de paz na Colômbia.

Ivan Márquez, chefe negociador das Farc, anunciou à imprensa que com base nos apelos dos fiadores, Noruega e Cuba, e dos acompanhantes do processo, Chile e Venezuela, as Farc estão dispostas ao cessar fogo.

Juan Manuel Santos, presidente da Colômbia, se prenunciou e elogiou a trégua unilateral. A última trégua teve duração de cinco meses e acabou no mês de maio.

Publicidade
Publicidade

O presidente aproveitou para dizer que essa é uma boa notícia, mas ainda não é o ideal. Ele deseja acelerar o processo de paz, que teve início em 2012. Segundo Juan, são necessários compromissos concretos para que as negociações sejam aceleradas.

O Sistema das Nações Unidas, em Bogotá, também se pronunciou sobre o assunto dizendo que esse é um primeiro passo importante para que as hostilidades tenham fim. No comunicado ficou clara a expectativa de que esse cessar-fogo tenha um positivo impacto e consiga aliviar o sofrimento das pessoas que vivem em zonas de conflito.

Na última terça-feira, quatro países participaram das negociações na cidade de Havana e pediram que o conflito armado seja interrompido urgentemente, pois existe há mais de meio século e se intensificou nas últimas semanas.

Publicidade

O chefe negociador das Farc disse que essa trégua mostra que a guerrilha quer condições favoráveis para que o cessar-fogo seja definitivo e bilateral. Ele aproveitou para deixar claro que não são as Farc que estão pressionando o #Governo, mas sim a opinião pública que deseja um cessar-fogo bilateral.

A situação de conflito armado estava gerando muitas críticas no país, pois as negociações avançavam a passos lentos e as hostilidades estavam se intensificando.

A última trégua, que durou de dezembro a maio, só acabou depois que militares fizeram uma série de ataques e deixaram mais de trinta guerrilheiros mortos. #Ataque