Oficiais liberianos confirmaram, nesta quarta-feira (1º), o segundo caso de Ebola no país depois do fim da epidemia. O caso ocorreu na mesmo cidade onde a #Doença foi detectada dias antes em uma garota diagnosticada com a patologia, sete semanas após o país declarar fim da epidemia.

A pessoa infectada foi levada as presas para Monrovia, informou o ministro da saúde do estado Tolbert Nyenswah.

Os Centros de Tratamento do Ebola administrados pelo Ministro da Saúde não haviam recebido nenhum paciente com tais sintomas desde o fim da epidemia confirmada pela Organização Mundial da Saúde no dia 9 de Maio.

Manifestantes fecharam o prédio geral da saúde e pediram mais explicações sobre os novos casos, a imprensa local informou que os funcionários do prédio estão sendo mantidos praticamente "reféns" e acionaram a policia.

Publicidade
Publicidade

A Ministra da Saúde Nacional, Bernice Dahn, disse que a Libéria tem pago benefícios para 99% dos profissionais da saúde para conterem o risco da volta do Ebola no país, e isso se tornou um valor significante para a ajuda financeira. Ela disse que se há algum funcionário que acha que não está sendo bem pago, eles deveriam reivindicar seus direitos, e fazer deles um caso com o ministério.

Também na quarta feira, trabalhadores enterraram o corpo de um jovem de 17 anos que estava infectado, e infelizmente foi detectado após sua morte, isso mostra o medo da população com o parecimento repentino do Ebola na Libéria.

O país foi o que mais sofreu com a doença no inicio da pandemia, com cerca de 4.800 mortes antes de conter sua transmissão.

Novos testes irão ajudar a determinar o novo modo de transmissão, disse o oficial responsável pela perícia dos corpos o qual a identidade está sendo mantida em segredo.

Publicidade

Especialistas advertem que o Ebola ainda é uma ameaça global e particularmente ao Oeste Africano, até ela ser completamente erradicada da Guiné e Serra Leoa onde continuam com o surto.

A epidemia do Ebola no Oeste Africano é considera a pior da história, matando mais de 11.200 pessoas.