De acordo com cientistas políticos, professores de #História, jornalistas especializados e demais estudiosos, ao se reaproximar de Cuba, Barack Obama deixará o seu maior legado para a Casa Branca, em se tratando de política internacional ou externa, durante os seus oito anos de governo. Além disso, esse é o maior e mais emblemático sinal de abertura do regime político em Cuba, desde que Fidel Castro, irmão do atual presidente cubano Raúl Castro, tomou o poder na Revolução de 1959, o que aumenta, ainda mais, a importância e a simbologia em torno desta reaproximação.

Avanços e Pendências

Dentre os avanços oriundos da reaproximação, pode se destacar: a liberação de mais de cinquenta prisioneiros políticos em Cuba e de cubanos presos nos Estados Unidos, a retomada flexível dos negócios comerciais entre os dois países, além da retirada de Cuba da lista dos países que apoiam o terrorismo, lista criada pelos norte-americanos.

Publicidade
Publicidade

A retirada do nome de Cuba da lista foi uma exigência crucial feita por Raúl Castro para voltar a se comunicar com os EUA.

Dentre as pendências ainda existentes, a principal é com relação a liberação de verbas dos Estados Unidos para a reforma e reinauguração da embaixada norte-americana em Havana, capital cubana. Isso porque, a oposição de Obama é contrária a retomada de contato com Cuba e, sendo maioria no Congresso, pode barrar a liberação do dinheiro para o projeto.