New Horizons, uma sonda espacial, chegou nesta terça-feira ao ponto mais próximo do chamado planeta anão. As informações foram divulgadas pela NASA, agência espacial americana. A sonda espacial viajou por nove anos e percorreu a distância entre a Terra e Plutão, ou seja, quase 5 bilhões de quilômetros. O ponto mais próximo que a sonda conseguiu chegar foi à 12.500 km de Plutão.

Esse feito é um avanço significativo para que a ciência consiga analisar a região, a temperatura e os detalhes sobre a superfície do planeta. Além disso, também contribui para o estudo do chamado Cinturão de Kuiper. Hoje, às 8h50, a contagem regressiva da NASA ficou zerada, indicando que a sonda conseguiu fazer a aproximação exatamente como foi previsto.

Publicidade
Publicidade

Os cientistas que estavam presentes na sede da NASA ficaram bastante satisfeitos e comemoram vibrando e balançando bandeirinhas dos Estados Unidos.

De acordo com Cássio Barbosa, astrônomo e blogueiro do G1, durante o dia nenhum dado será transmitido, pois o objetivo é que a New Horizons fique em silêncio para que consiga captar informações sobre a lua Caronte e sobre Plutão.

A previsão é que apenas depois das 22h de hoje é que a sonda transmita informações para a base na NASA. A comunicação será bastante breve, apenas para informar a situação da nave e mostrar se ela sobreviveu ou não à passagem próxima de Caronte e Plutão.

Alan Stern, chefe da missão New Horizons, informou que saber se a nave sobreviveu ou não é sempre um drama, porém é bom por ser uma exploração real. Na coletiva de imprensa, Alan aproveitou para agradecer a equipe responsável pela missão.

A sonda tem boas chances de ter sobrevivido, mas na região há destroços e muitos meteoroides vindos do Sistema de Luas do planeta anão.

Publicidade

De acordo com o que foi divulgado pela Nasa, a chance de um desses destroços colidirem com a sonda é 1 em 10 mil. Caso ocorra a colisão ela ficará completamente destruída. #Inovação #EUA