A Noruega é conhecida mundialmente por suas belezas naturais, tem uma população de um pouco mais de 5.000.000 de pessoas numa área de 385.155 km2. Além de suas riquezas e belezas naturais, a Noruega está sendo um dos poucos países a atravessar a crise global sem maiores problemas e os cofres do país contam com mais de US$ 800 bilhões que é o maior fundo soberano do planeta, mas toda esta estabilidade geral foi seriamente estremecida com as ações homicidas de Anders Behring Breivik, que assassinou 69 pessoas no acampamento da juventude do Partido Trabalhista há 4 anos atrás na ilha de Utoya.

Após isto, o evento volta a acontecer nesta sexta-feira com uma série de seminários e uma leva grande de recém-chegados ruma à ilha norueguesa para participar do encontro, que acima de tudo tem um significado de superação para o povo daquele país.

Publicidade
Publicidade

Emilie Bersaas, um dos organizadores do acampamento, antes mesmo da abertura dos eventos, falou aos participantes que não permitissem que "aquele dia escuro ofuscasse as agradáveis e brilhantes" memórias dos encontros anteriores da juventude frente as próximas reuniões da juventude e encontros sociais nos finais de semana na ilha, se referindo ao atentado de 4 anos atrás.

Após matar 8 pessoas na explosão de uma bomba em edifícios do governo no centro da capital Oslo, em 22/07/2011, Breivik, um auto-denominado "nacionalista militante," se apoderou de um barco rumo a Utoya, atirando a esmo nos alunos enquanto vagava na ilha. Os assassinatos na capital e na ilha que fica a 40 km de Oslo e que é propriedade da ala jovem do Partido Trabalhista, aterrorizaram a nação não acostumada a atos de violência que destoam da realidade de segurança do país.

Publicidade

Uma média de 1 em 4 noruegueses foram afetados pelo massacre. Para o encontro do dia 07/08, mais de 1.000 estudantes se inscreveram nos 3 dias de seminários. Os edifícios tradicionais de madeira vermelho e branco foram renovados com a construção rápida e nervosa durante a semana a fim de concluir as novas salas para a conferência em tempo. Um memorial de aço circular brilhante com os nomes das vítimas gravados também foi construído em um lugar de destaque entre os pinheiros isolados e com vista para o lago Tyrifjorden. O ataque deixou marcas duradouras em Utoya, incluindo o refeitório verde escuro, que carrega as marcas de bala do assassinato de 13 pessoas, que não foi restaurado e será um centro de aprendizagem no futuro.

Em 2012, Breivik foi condenado por assassinato em massa e #Terrorismo recebendo a sentença de 21 anos de prisão, que pode ser prorrogada pelo tempo em que ele for considerado perigoso, o que significa provavelmente que ele fique na prisão pelos restos dos seus dias.

Publicidade

Em julho último, Breivik ganhou o direito de estudar na zona de confinamento da Universidade de Oslo, mesmo diante da indignação da opinião pública.

No 4º aniversário da tragédia em julho, a 1ª Ministra Erna Solberg disse que 22/07/2011, será sempre um dia negro na história do país e que as vítimas serão "lembradas com amor" e jamais esquecidas. Desde aquele dia fatídico, 16 grupos de apoio regional e uma organização nacional foram criados para auxiliar na recuperação das famílias das vítimas. Infelizmente, trata-se de mais um capítulo triste da história humana, pois o mais jovem dos mortos era um menino de 14 anos de idade e o mais velho e a 1ª vítima de Breivik na ilha, um guarda de segurança, tinha 45 anos de idade. #Educação #Europa