Nessa sexta-feira, 31, o caçador Theo Bronkhorst - um dos responsáveis pela morte do leão Cecil - declarou à agência de notícias francesa Agence France-Presse (AFP) que pensa não ter feito nada de ruim ao cooperar com a caçada protagonizada pelo dentista americano Walter Palmer, que resultou na morte do animal que era 'estrela' do Zimbábue.

O caçador profissional afirmou que não faltou com nenhum de seus deveres. Disse ainda, que foi contratado para organizar uma caçada para um cliente, Walter Palmer, e então dispararam contra um leão velho que, para ele, já ultrapassou sua idade reprodutiva, e portanto, acha que não fez nada de errado.

Publicidade
Publicidade

No entanto, os fatos facilmente contestam a afirmação de Theo Bronkhorst, tendo em vista que o animal possuía duas ninhadas de filhotes saudáveis. Johnny Rodrigues, diretor da Equipe de Preservação do Zimbábue, não apenas lamenta a morte do leão Cecil, como assegurou ao jornal El País que os 6 filhotes do felino, com toda a certeza, serão mortos pelo novo chefe do bando. Ele conta que é assim que a #Natureza funciona, e é esse tipo de desequilíbrio gerador de mortes desnecessárias que ocorrem, quando acontece uma grande interferência. Ainda acrescentou que o dentista e seus comparsas tentaram destruir o GPS que permitia Cecil de andar pela reserva com liberdade, mas não obtiveram sucesso. Este é apenas mais um indício de que, ao contrário do que afirmam, estavam plenamente cientes de estarem praticando uma caça ilegal.

Publicidade

Depois de estudar o acontecimento e as evidências de maneira minuciosa, os profissionais de uma ONG do Zimbábue declararam que há uma forte suspeita de como tenha ocorrido o caso: Cecil, a princípio, fora atraído para fora do parque de Hwange com iscas de carne e um rastro de sangue. Já fora da reserva, o leão foi ferido com uma flecha e, em seguida, foi caçado durante 40 horas, quando então Walter Palmer e Theo Bronkhorst finalizaram a caçada, utilizando uma arma para matá-lo.

Agora, as autoridades dos Estados Unidos estão tentando localizar o dentista para que possam prosseguir com as investigações. Foi divulgado ainda que, em 2008, Dr. Palmer foi processado nos EUA por violar as leis e praticar a caça ilegal de ursos. #Animais #Crime