O grupo extremista islâmico Boko Haram deixou pelo menos 56 mortos em um #Ataque ocorrido na última sexta feira, 28, na aldeia Nganzai Baanu, no nordeste da Nigéria. O ataque foi confirmado neste domingo, 30, pelo governador do estado de Borno.

"Temos de perceber que o Boko Haram é uma calamidade que se abateu sobre nós", disse Kashim Shettima, governador de Borno, durante um encontro com pais das jovens sequestradas em 2014 pelo grupo extremista.

O serviço de informações da Nigéria anunciou a captura de vários suspeitos, acusados de fazerem parte do Boko Haram, dentre eles, um dos principais líderes do grupo.

O grupo terrorista já matou quase 20 mil pessoas nos últimos 6 anos, em sua maioria inocentes, entre eles, crianças e mulheres. O Governo Nigeriano está cada vez mais preocupado com a expansão do grupo pelo país, que já declarou califado islâmico em alguns locais.

Publicidade
Publicidade

Um morador que conseguiu escapar do ataque, contou que membros do grupo chegaram a cavalo por volta das 20h30, no horário local, para não serem identificados pelo exército da Nigéria, e em seguida atiraram, provavelmente com fuzis automáticos AK 47, de calibre 762, de alto poder de destruição, símbolo da bandeira do grupo.

Outros crimes

Na última quinta feira, 27, a Nigéria lembrou 500 dias do sequestro de centenas de estudantes no país, quando o grupo invadiu uma escola e raptou 276 meninas, também no estado de Borno. Das 276 meninas sequestradas, 57 conseguiram fugir, as outras 219 foram convertidas ao Islã e obrigadas a se casar com membros do grupo.

Somente este ano, estima-se que o grupo já tenha matado mais de 2 mil e 300 pessoas em países como: Nigéria, Chade, Camarões e Niger.

Boko Haram

O Boko Haram é um dos mais perigosos grupos terroristas da atualidade.

Publicidade

Surgiu na Nigéria há mais de dez anos. Foi fundado por Mohhamed Yusuf na cidade de Maiduguri, capital do estado de Borno. Grupos terroristas como esses são altamente capacitados, recebendo treinamento de guerra, e conseguem dinheiro através de sequestros. #Terrorismo