Os Estados Unidos estraram em comoção após o assassinato de dois jornalistas durante uma transmissão ao vivo da afiliada da CBS News em Virgínia, a rede WDBJ-TV. O canal aproveitou a manhã desta quinta-feira, 27, para no mesmo horário do atentato prestar uma homenagem ao cinegrafista Adam Ward e à repórter Alison Ward. No estúdio da emissora, os colegas dos profissionais da mídia fizeram um minuto de silêncio, mas não conseguiram segurar as lágrimas.

A mesma âncora que apresentava o telejornal da WDBJ-TV no momento do assassinato esteve novamente nos estúdios do canal. Kim McBroom deu às mãos aos colegadas Leo Hirsbrunner, responsável pela meteorologia, e a Steve Gran, que também apresenta jornais na rede de TV.

Publicidade
Publicidade

Eles disseram que a única coisa que eles poderiam fazer eram dar as mãos, fazendo uma oração para os profissionais que acabaram falecendo. As informações foram confirmadas pela agência internacional de notícias Associated Press.

Minutos depois do atentado durante a transmissão ao vivo nesta quarta-feira, 27, a própria emissora americana confirmou a morte de seus profissionais através do Twitter. No texto, a rede de TV disse que estava profundamente triste em ter que noticiar que seus próprios funcionários haviam sido vítimas de uma barbaridade. 

O assassinato ocorreu no bairro de Moneta, em Virgínia. Repórter e cinegrafista entrevistavam Vicki Gardner, diretora comercial local no shopping center Bridgewater Plaza, quando o infortúnio aconteceu. A entrevistada também foi atingida com tiros nas costas.

Publicidade

Ela chegou a ser internada e passou por uma cirurgia. De acordo com o último boletim médico, Vicki passa bem e seu estado é estável. 

O assassino já conhecia as vítimas. Vester Flanagam tinha 41 anos e no passado já havia trabalhado como repórter e apresentador na emissora. A polícia americana ainda tentou prendê-lo. No entanto, durante uma perseguição ele acabou batendo com o carro e se suicidando. Antes disso, Vester chegou a postar um vídeo que ele mesmo fez do momento do assassinato em suas redes sociais. As contas dele no Twitter e no Facebook, posteriormente, foram apagadas.

  #Terrorismo #Crime