Na manhã desta quarta-feira (26), os jornalistas Alison Parker e Adam Ward foram mortos quando realizavam uma entrevista, ao vivo, para o canal WDBJ7, nos Estados Unidos. O vídeo já circula na internet e redes sociais. Tudo indica que o atirador, que era empregado da emissora, atirou em si mesmo logo após disparar os tiros na repórter e no cinegrafista.

O suspeito, que se chama Vester Lee Flanagan, tem 41 anos e filmou os disparos para postar o vídeo do ocorrido em sua conta no Twitter. De acordo com a Associated Press, Vester, que usa o nome Bryce Williams nas redes sociais, já está preso. Após o #Crime, a policia começou a persegui-lo.

Publicidade
Publicidade

Segundo a imprensa norte-americana, o suspeito do duplo homicídio foi encontrado ferido e o seu estado é crítico.

Os profissionais que perderam a vida estavam na Bridgewater Plaza, na cidade de Moneta, e faziam uma entrevista por volta das 7h (Horário local). A repórter Alison Parker tinha 24 anos e o cinegrafista 27. Eles foram surpreendidos pelo ex-colega de trabalho, que chegou já atirando.

A entrevistada também foi alvejada por um dos disparos. Vicki Gardner, funcionaria da câmera de Comércio do município, concedia uma entrevista ao vivo. Vicki acabou levando um tiro nas costas, teve que passar por um procedimento cirúrgico de urgência, mas o quadro de saúde dela é estável.

Na filmagem feita pelo câmera Adam Ward, é possível ver a repórter Alisson em seus últimos momentos de vida tentando se esconder dos disparos.

Publicidade

A câmera é derrubada depois do cinegrafista ser também atingido, mas ainda pode ser visto as pernas do atirador. Os gritos e os tiros continuam sendo ouvidos.

(Veja o vídeo a seguir)

Segundo a CNN, o atirador chegou a disparar seis ou sete vezes. Referente a motivação do crime, ainda não foi confirmada, mas, segundo a publicação no twitter do suspeito, Alison teria feito comentários racistas, e o cinegrafista teria feito uma reclamação contra ele no setor de Recursos Humanos da TV WDBJ7, logo após eles terem trabalhado apenas uma vez, em uma de suas reportagens. #Violência #EUA