Tudo começou quando a montadora havia instalado um software de medição de índice de poluentes em pelo menos 11 milhões de veículos a diesel para tentar enganar as agências reguladoras e consumidores sobre a emissão de gases poluentes e isso levou a empresa para maior crise de sua história.

A empresa sempre fazia afirmações ousadas sobre ser mais verde do que outros fabricantes de automóveis, e tinha uma reputação de confiabilidade e de engenharia de qualidade. De repente, a marca "Made in Germany" não parecia mais ser tão confiável depois que ela pediu desculpas por fraudar os ensaios de emissões de carros a diesel.

A descoberta da fraude ocorreu por simples acaso, quando o ambientalista Peter Mock, diretor do grupo International Council for Clean Transportation (ICCT), queria provar que veículos de um mesmo modelo e de uma mesma marca emitiam menos gases nos EUA do que na #Europa.

Publicidade
Publicidade

Para sua surpresa, os modelos da montadora alemã que eram exportados para os EUA mostraram resultados bem diferentes do que ele esperava encontrar. As análises foram realizadas em parceria com a Universidade de Virgínia Ocidental, Estados Unidos. 

Pressionada pela Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA), a montadora alemã abriu o jogo revelando a fraude. 

 A Volkswagen que detém outras marcas de topo, incluindo Porsche, Audi e Lamborghini - ultrapassou a Toyota como montadora de topo do mundo por vendas em julho, mas a posição está agora em risco, dizem analistas. Aqui estão sete fatos importantes que mostram o que está em jogo:

1. O grupo Volkswagen responde por cerca de um em cada 10 veículos vendidos no mundo. 

2. A indústria automobilística é o maior setor industrial na Alemanha, contribuindo com cerca de 2,7% para o Produto Interno Bruto. 

3.

Publicidade

Cerca de 20% das exportações da Alemanha são compostas de veículos e peças. 

4. As vendas de automóveis domésticos e as exportações foram no valor de € 368 bilhões de euros em 2014. 

5. Somente na Alemanha as vendas de automóveis do grupo Volkswagen,  resultaram em mais de € 202 milhões de euros em receitas em 2014. 

6. Cerca de 70% dos veículos Volkswagen são vendidos fora das fronteiras alemãs. 

7. A Volkswagen emprega cerca de 600.000 pessoas em todo o mundo, isso é mais de dois terços das 775.000 pessoas que trabalham nas indústrias automobilísticas na Alemanha. 

Mas antes de começar a se preocupar com o colapso completo da indústria automobilística alemã, vale a pena repetir que - pelo menos por agora - o escândalo se limita a Volkswagen. Outras montadoras alemãs como a Daimler, que é dona Mercedes-Benz e BMW disseram que não foram afetadas. "Mesmo uma forte queda na produção de carros a diesel e exportações provavelmente não subtrairá mais de 0,2% do PIB alemão", disse o economista Holger Schmieding Berenberg. "A demanda por carros não-diesel pode subir e compensar parcialmente a queda na demanda por carros movidos a diesel." #União Europeia #Sustentabilidade